Autoconhecimento Almas Gêmeas AutoAjuda Astrologia Bem-Estar Corpo e Mente Espiritualidade Oráculos Psicologia Vidas Passadas

Quando o amor vira amizade...  

Quando o amor vira amizade...


:: Rosana Braga ::

Creio que todo casal, em algum momento da relação, já se perguntou: "será que eu realmente amo esta pessoa ou estou com ela apenas porque já me acostumei?". Ou seja, a dúvida parece reincidir sobre dois sentimentos que aparentemente exigem posturas diferentes: amor e amizade.
Porém, creio que alguns conceitos necessitem de certa reflexão. Se podemos nos apaixonar por um amigo, supomos que amizade e amor podem ter íntima correlação. Se podemos nos tornar amigos de quem amamos, a afirmação continua valendo. Isto é, podemos acrescentar amor à amizade e amizade ao amor.

Mas por que, em muitos casos, quando uma pessoa se questiona sobre o fato do amor ter-se tornado amizade, fica a impressão de que algo se perdeu? Fica a sensação de que falta alguma coisa, de que foi subtraído da relação o mais importante? Será?
Claro que buscamos o despertar de sentimentos peculiares quando decidimos nos entregar a uma relação amorosa. Paixão, excitação e palpitação não combinam com as relações que vivemos entre amigos. Espera-se que no 'grande encontro' haja mais do que a paz que pode ser encontrada num ombro companheiro. Espera-se que haja desejo.

Muito bem. Isso é verdade. Mas qual é o prazo de validade da paixão? Qual é a função desse fogo que parece nos consumir e nos movimentar no auge de sua envolvência. Será possível viver nesta ardência por toda a vida? Será construtivo?
O que quero dizer, na verdade, é que a base de uma relação de amor, especialmente com o tempo, a dedicação e a construção de uma vida em comum, vai ganhando mais em amizade e permitindo que se apague, de forma saudável e necessária, o fogo da paixão. E é absolutamente preciso que seja assim, acredite!

A paixão é maravilhosa, deliciosa, imperdível e desejável, mas como fogueira vai se apagando em seu devido tempo. Fogo demais queima, machuca, dói, destrói. Fogo de menos faz falta, deixa frio, escuro, desconfortável. É preciso acertar o tom, aceitar o ritmo, embriagar-se de labaredas na medida certa... e depois, aprender a manter acesas somente as brasas.
Mas as crenças e os romances nos enganam; deixam no ar a ilusão de que podemos estar constante e ininterruptamente apaixonados, ardendo, como se o amor se resumisse a isso. E assim, nos perdemos em desejos impossíveis. Acreditamos que falta algo nas relações duradouras. Simplesmente porque não aprendemos a apreciar a sutileza do amor. Ficamos presos e condenados à aflição que nos causa a paixão.

E o fato é que ela acaba. Ela sempre acaba. É assim, não tem jeito. Mas a gente não aceita. Busca outra e outra, nos remetendo a um vazio que nunca poderá ser preenchido senão com a delicadeza do amor. Precisamos nos deixar apaziguar, mais cedo ou mais tarde. Geralmente, mais tarde. Algumas vezes, bem mais tarde! Noutras, nunca, infelizmente.
Por isso, antes de pôr fim a uma relação que tem mais sutileza do que ardência, que lhe provoca mais paz do que desejo, pense bem. Não se deixe cair numa armadilha ardilosa e extremamente perigosa.

Não estou, de forma alguma, subestimando a importância da paixão. Ela é necessária e imperdível. Contém em si o impulso da provocação, a coragem para a entrega. Sem ela não há início, não há motivação para o nascimento do amor. A paixão rompe a terra para deixar nascer o amor, em forma de fruto.

Desejo assim, que todos nós tenhamos a oportunidade de nos envolver nas chamas da paixão. Se preciso for, até arder, doer e aprender. Para depois, enfim, valorizar a calmaria do amor. Afinal, a paixão queima e machuca enquanto que o amor aquece e acolhe... e que você descubra e usufrua do segredo contido na relação que torna-se mais parecida com amizade e menos com a angústia das paixões.
Veja na próxima semana: "Quando a amizade vira amor..."



Leia Também:


  Quando a amizade vira amor...


 
 
fotoRosana Braga é Palestrante, Jornalista, Consultora em Relacionamentos
e Autora dos livros "O PODER DA GENTILEZA" e "FAÇA O AMOR VALER A PENA", entre outros.
www.rosanabraga.com.br, Twitter e Parperfeito
Clique aqui e receba GRATUITAMENTE o teste "QUE TIPO DE AMOR VOCÊ ATRAI?"

Email: rosanabraga@rosanabraga.com.br
 
 

Veja também mais artigos em Almas Gêmeas

Fluir
Reino Dividido
Viajando com o Todo nas asas da assistência extrafísica
Você é um sensitivo?
 
 

Deixe sua opinião sobre este artigo

Gostou?
Imprima este Artigo Envie para um Amigo Outros Artigos desse Autor Adicionar aos Favoritos.
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.
 
 

Energias para Hoje
ernegia
I-Ching:
53 – CHIEN – DESENVOLVIMENTO
Os esforços empreendidos de modo gradual produzem resultados mais duradouros. Aja com prudência e não se jogue de cabeça em nenhuma situação.


ernegia
Runas: Ingwaz
Abuse da versatilidade. Recomece. Concretizações.


31
Numerologia: Concentração
O dia pede dedicação ao trabalho, exige atenção e concentração. Muita coisa pode ser conseguida hoje, se direcionar sua energia para projetos tangíveis. Empenhe-se para que seus esforços sejam produtivos.


Louise Hay fala sobre problemas com Vícios
Fugindo de si mesmo. Medo. Não sabe como se amar. Clique e veja mais!






 
NOSSO TRABALHO
Quem Somos
Nossa Missão
Cadastro Gratuito
Anuncie no Site
Arquivo
Depoimentos
Colunistas
CATEGORIAS
Almas Gêmeas
Astrologia
Autoajuda

Autoconhecimento

Bem-Estar
Corpo e Mente
Espiritualidade
Oráculos
Psicologia
Vidas Passadas
LOJA E SERVIÇOS
Clube Profissional
Clube Semestral
Holos
Atendimentos Online
Cursos Online
Eventos
Serviços
Escolas Parceiras
SOBRE O CONTEUDO
Artigos publicados
Horóscopo Semanal
Blog Diário
Interativos e Oráculos
 
MUNDO
STUM World
Somos Todos Uno
Siamo Tutti Uno
MAIS
RSS
Tablet
Widgets
Celular 3G
Mapa do Site
Edições anteriores
Músicas
Ajuda
Descadastrar-se
Copyright 2000-2014 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS