site stats
Categorias: Almas Gêmeas Astrologia Corpo e Mente Espiritualidade Oráculos Psicologia Vidas Passadas

Imprimir
Lidar com o sofrimento, um aprendizado  
Lidar com o sofrimento, um aprendizado

:: Flávio Gikovate ::

Em vez de tentar impedir que nossos filhos sofram, devemos ajudá-los a vencer os obstáculos da vida.

Um aspecto que não pode ser subestimado quando refletimos sobre nossa evolução psicológica é o das peculiaridades inatas. Mais importantes que os obstáculos que a vida nos impõe são nossas forças para ultrapassá-los e tirar deles lições importantes. Portanto, em vez de tentar impedir que nossas crianças sofram, deveríamos ajudá-las a desenvolver seu potencial interior, a fim de serem capazes de adquirir competência para suportar dores físicas e mentais.

Não se pode evitar, por exemplo, que uma criança sofra com a morte precoce do pai. O que interessa é ajudá-la a desenvolver, mais cedo do que seria natural, competência para lidar com a dor da perda afetiva, com responsabilidades maiores do que as que se poderia pretender para aquela idade; a mobilizar, enfim, toda a sua energia interior para ultrapassar, da melhor maneira possível, essa experiência marcante e dramática. A expressão "da melhor maneira possível" é importante, pois não há como impedir alguns desdobramentos. Por exemplo: o desenvolvimento precoce da responsabilidade poderá influir na sua história de vida, tornando-a menos capaz para o lazer e excessivamente preocupada com as pessoas que dependerão dela. Não há muito o que fazer, a não ser compreender que aquilo que somos hoje é fruto da forma como nosso cérebro respondeu aos obstáculos dá vida.

Acredito que algumas crianças nasçam com maior tolerância às dores. As que não nascem assim tendem a agir com agressividade e descontrole quando frustradas. É nosso dever ajudá-las a desenvolver a tolerância; isso será uma conquista mais difícil para elas e exigirá maior energia por parte do educador. A título de comparação, sabemos que algumas crianças nascem com maior facilidade para aprender a tocar um instrumento musical. Para as menos dotadas, será preciso um número maior de aulas e muito mais persistência, para que se saia tão bem quanto outra, que tocará apenas "de ouvido". O importante, no caso da capacidade de lidar com dores, é não aceitar o "estopim curto" das mais intolerantes como se isso fosse uma peculiaridade irreversível. Devemos lutar para ajudá-las a aprender a não reagir com violência diante das contrariedades inevitáveis da vida. Insisto nesse ponto, pois é indispensável que a criança possa ultrapassar o egoísmo natural e respeitar os direitos dos outros - o que, não raramente, implica frustrações e renúncia de alguns dos seus desejos.

Somos diferentes em quase todos os aspectos da nossa constituição física e psíquica. As variações da inteligência são enormes, e também as relacionadas à agressividade, intensidade dos medos e capacidade de lidar com eles, força do instinto sexual. O vigor físico varia tanto no que diz respeito à saúde como à força muscular e à estatura. Nossa aparência física é única e sujeita a julgamentos próprios de cada época e lugar.
Você já observou como a beleza, principalmente a feminina, pode determinar o destino de uma pessoa? A menina bonita é tratada com mais deferência desde a infância. Ao sair com suas crianças, os pais gostam de exibi-las como uma espécie de "obra-prima". A menina compreende tudo e, desde cedo, se percebe como uma pessoa especial, uma espécie de princesa. Ao observar o mundo saberá que "beleza é fundamental", que é um grande valor e privilégio. Com a chegada da puberdade, receberá todo tipo de convites, de facilidades, sentirá que todas as portas do mundo estarão abertas para ela. É, como dizia um autor norte-americano, uma "celebridade genética", famosa sem ter feito nada além de nascer. Tenderá a se acomodar a essas facilidades, tornando-se pouco disciplinada e nada esforçada para atividades intelectuais e profissionais, o que poderá lhe custar grandes prejuízos no futuro.




Gostou?
Imprima este Artigo Envie para um Amigo Outros Artigos desse Autor Adicionar aos Favoritos.



Flávio Gikovate é médico psicoterapeuta, pioneiro da terapia sexual no Brasil.
Conheça o Instituto de Psicoterapia de São Paulo.
Confira o programa "No Divã do Gikovate" que vai ao ar todos os domingos das 21h às 22h na Rádio CBN (Brasil), respondendo questões formuladas pelo telefone e por e-mail gikovate@cbn.com.br
Email: instituto@flaviogikovate.com.br

+ Artigos deste autor

Dúvidas do cotidiano - Parte 5
Dúvidas do cotidiano - Parte 5
Dúvidas do cotidiano - Parte 4
Dúvidas do cotidiano - Parte 4
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.

 

+ Lidos na Semana anterior
1. Aprender a esperar
2. O ingresso do Sol em Touro - A Grande Cruz
3. Como aceitar as mudanças impostas pelo destino?
4. Vende-se grande amor. Peça já o seu!
5. Chico Xavier e a França
6. Ame e viva como se fosse um detetive!
7. Uma prece de agradecimento às consciências elevadas
8. Os sinais da existência

Atendimentos On-Line
Mapa Astral Natal
Mapa Astral Natal
Mapa Numerológico Pessoal por e-mail
Mapa Numerológico Pessoal por e-mail
  Veja Mais

 
 
NOSSO TRABALHO
Quem Somos
Nossa Missão
Cadastro Gratuito
Anuncie no Site
Arquivo
Depoimentos
Colunistas
CATEGORIAS
Almas Gêmeas
Astrologia
Corpo e Mente
Espiritualidade
Oráculos
Psicologia
Vidas Passadas
LOJA E SERVIÇOS
Clube Profissional
Clube Semestral
Holos
Atendimentos Online
Cursos Online
Eventos
Serviços
Escolas Parceiras
SOBRE O CONTEUDO
Artigos publicados
Horóscopo Semanal
Blog Diário
Interativos e Oráculos
 
MUNDO
STUM World
Somos Todos Uno
Siamo Tutti Uno
MAIS
RSS
Tablet
Widgets
Celular 3G
Mapa do Site
Edições anteriores
Músicas
Ajuda
Descadastrar-se
Copyright 2000-2014 SOMOS TODOS UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS