Somos Todos UM - HOME
O seu Portal de Autoconhecimento e Espiritualidade



Emponderamento e a Prostituta Sagrada  
Home > Autoconhecimento
Emponderamento e a Prostituta Sagrada

por Ana Paula Calabria


Emponderar-se não é negar a sua essência feminina para jogar-se no universo masculino. Não é preciso deixar o lado “mulherzinha” para conquistar o mundo. Podemos e devemos ter as rédeas da vida em nossas mãos, mas isso não quer dizer que precisemos agir como homens ou torná-los nossos inimigos mortais.

A liberdade vem com a integração e não com a negação do masculino. A luta do feminino não é necessariamente a luta do feminismo.  Na lenda do Rei Arthur foi revelado que o que a mulher mais quer é liberdade. Mas como alcançá-la? Frequentemente, vemos mulheres se digladiando tentando “ocupar” o lugar do homem, entrando numa batalha injusta onde só quem tem a perder é a alma, o si mesmo na mulher.

Deveria ser tudo tão simples, mas parece tão complicado. Conta a lenda que o Rei Arthur, ainda jovem, caçava clandestinamente em terras alheias. O monarca dono da propriedade o surpreendeu e pensou em decapitá-lo, seguindo as leis daquela região. Mas, num impulso, ao invés da morte violenta, deixou que ele partisse com a condição de voltar um ano depois, com a resposta para a seguinte pergunta:

“O que as mulheres realmente querem?”

Mesmo achando impossível chegar a tal resposta, o jovem Arthur, que nada mais tinha a perder, aceitou o desafio.
De volta ao seu reino perguntava a todos, sem distinção, a referida pergunta. Nem o mais sábio dos homens ou mesmo qualquer mulher da região soube lhe responder com exatidão. Foi recomendado a ele, no entanto, que procurasse a velha bruxa, porque, se havia alguém capaz de saber a resposta, seria ela.
A bruxa horrenda concordou em ajudá-lo, desde que ele ordenasse ao seu melhor amigo e mais nobre cavaleiro da Távola Redonda, Sir Gawain, que se casasse com ela.
Depois de pensar o ano todo e ter o aval de Gawain, que concordou em salvar a vida do inestimável Rei, foi feito o acordo com a bruxa, e então a velha sabia concluiu:

“O que as mulheres mais querem é a soberania de suas próprias vidas”.

Mesmo achando que a bruxa poderia estar mentindo, já que a resposta não lhe fazia muito sentido, Arthur voltou ao seu algoz e lhe disse a resposta. E com isso se livrou da morte certa.
Sir Gawain, então, casou-se com a bruxa, e na noite de núpcias, ao se recolherem, a bruxa se transformou numa linda princesa. Então, ela lhe perguntou:

“Qual das duas você quer para o dia, e qual você quer para a noite?”

Ele pensou se gostaria de ter uma linda mulher durante o dia para impressionar os amigos ou uma linda mulher à noite, em seu quarto. Não sabendo que decisão tomar, disse à bruxa:

“Decida você mesma o que quer ser”.

Nesse instante, a bruxa revela que, por tê-la deixado decidir, decidiria ser linda o tempo todo...

E por que não, decidir ser linda o tempo todo?

No momento em que a mulher se integra ao masculino, sem reservas, sem medo, assim como a bruxa se entregou a Sir Gawain, entende que o masculino não é um rival, mas parte dela mesma. O masculino pode ser positivo, pode ajudar, caminhando junto do feminino, sem disputas, sem medos, sem algemas. Um animus positivo e o si mesmo... completude, harmonia, vida... E que toda mulher percebesse que não precisa queimar seu sutien... mas sim, usá-lo para adornar com delicadeza um dos símbolos mais fortes do feminino. E, que as barbatanas sejam substituídas por renda perfumada de cor estonteante...

Finalizando com o belíssimo e contundente texto da psicóloga e analista junguiana Nancy Qualls Corbett, em seu livro “A Prostituta Sagrada”:

"... assim também a mulher moderna que tenha integrado seu "animus" está preparada para a vida. O que quer que ela assuma, ela o faz com segurança sem regressão, sem submissão ou sem sentimento de inferioridade em relação a um sistema patriarcal (o que significa retornar a casa do pai). Ela não precisa competir com homens, nem adotar qualidades masculinas, isto é, identificar-se com o animus. A mulher que conseguiu reconhecer a presença do poder masculino dentro de si passa a ser a sua própria autoridade, e mantém-se constante em relação à natureza feminina. Ela pode não ser capaz de mudar o sistema patriarcal em volta dela, mas o que é mais importante, não permite que o sistema a altere".
Texto Revisado
 




Compartilhe

Autor: Ana Paula Calabria   
Psicoterapia Reiki Florais de Bach 
E-mail: anawcalabria@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Publicado em 29/08/2017

Deixe sua opinião sobre este artigo

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


 
Energias para Hoje

energia
I-Ching: 54 - KUEI MEI – A JOVEM QUE SE CASA
Evite qualquer decisão ditada pela paixão.


energia
Runas: Tiwaz
Remoção de obstáculos, vitória através de lutas.


24
Numerologia: Equilíbrio
Procure estabelecer um ritmo harmônico em sua vida, evite precipitações e correrias e arrume tempo para dedicar-se aos que ama dialogue, faça trocas pratique a compreensão.
 
 
Horóscopo da Semana
Áries Áries Libra Libra
Touro Touro Escorpião Escorpião
Gêmeos Gêmeos Sagitário Sagitário
Câncer Câncer Capricórnio Capricórnio
Leão Leão Aquário Aquário
Virgem Virgem Peixes Peixes
 

+ Lidos da Semana anterior
1. Como fazer um homem ficar obcecado por você...
2. Aniversário do Brasil 2017: o que vem por aí?
3. A Importância da Data de Nascimento
4. Guia dos Cristais e seus Poderes Curativos
5. Como saber quando alguém não está tão a fim de você!
6. As Profecias de Chico Xavier
7. Mulheres amadas e Homens admirados: a engrenagem que funciona!
8. Limão para tratar o Sistema Digestivo


 
© Copyright 2000 - 2017 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - Política de Privacidade