Somos Todos UM - HOME
O seu Portal de Autoconhecimento e Espiritualidade



A perpetuação da adolescência  
Home > Autoconhecimento
A perpetuação da adolescência

por Mauro Kwitko


A nossa sociedade é baseada no consumo e no lucro, e uma das táticas para manter o consumo pelos adolescentes é estender a duração dessa faixa o máximo possível, uma perpetuação da adolescência elaborada com essa finalidade. Com isso, a transição da fase adolescente de muitas pessoas para a fase adulta é estendida por muitos anos ou até décadas. Vemos pessoas de 30, 40 ou 50 anos de idade ainda sentindo-se “jovens”, seguindo um padrão criado pelo Sistema do que é “ser jovem”. Na nossa sociedade é proibido, até vergonhoso, ficar velho, temos de nos manter jovens por muito tempo depois que deixamos de sê-lo. Vemos isso na internet, na televisão, nas revistas, em que recebemos uma mensagem massacrante de que devemos ser sempre jovens, nos vestirmos como jovens, falarmos como jovens, adquirirmos produtos destinados para essa faixa, atividades físicas, aparelhos, plásticas, proteínas, vitaminas, complementos, pró isso, pró aquilo, anti isso, anti aquilo, uma parafernália que, por um tempo, nos dá realmente a sensação de que não estamos ficando velhos, que ainda somos jovens, mas chega um tempo em que a natureza vence e percebemos que não adianta, estamos velhos, chega de disfarçar, chega de fingir, pintar o cabelo não nos deixa com cara de mais jovem, nos deixa com cara de uma pessoa velha que pinta o cabelo, as plásticas estão nos esticando tanto que o nosso rosto parece mais um pergaminho do que um rosto jovem, a força da gravidade impondo-se à mensagem de sermos para sempre jovens, é hora de assumir nossa idade, ou não.

Algumas pessoas, desiludidas, resolvem assumir que não são mais jovens e isso pode ser um choque em sua auto-estima, em seus hábitos; outras continuam nessa saga, enganando-se que o tempo não passa, menos quando chega em casa, tira a roupa e se olha no espelho, e esse, como aquele espelho daquela Rainha má, não mente jamais. “Espelho, espelho meu, sou jovem?”. A resposta é direta e cruel: “Não!”. Para que tudo isso? Para que esse desgaste? Para que todo esse esforço? Não é mais simples, mais fácil, mais coerente, em cada faixa nos sentirmos naquele momento de nossa vida? Quando somos crianças, sermos crianças; quando adolescentes, adolescentes; quando adultos, adultos; quando velhos, velhos. Qual é o problema disso?

É necessário diferenciar o que é normal do que é veiculado como normal, muitas vezes é o oposto. Como somos dominados pelos donos da nossa cabeça e pelos domadores, o que é estabelecido como normal geralmente é ditado por seu desejo de lucro e esse é inesgotável, sempre quer mais e mais. Devemos estender a nossa vida de uma maneira ativa, útil, produtiva, procurarmos nos manter saudáveis, firmes, fortes, positivos, se possível até o nosso desencarne mas, passada a fase da adolescência, que ocorre em torno dos 18 anos, os jovens devem assumir a sua condição adulta, começarem a ser homens e mulheres de verdade, concluirem seus estudos , trabalharem, não beber, não fumar, não usar drogas, começarem a vestir-se como adultos, falarem como adultos, planejarem seu futuro, almejar tornarem-se independentes emocionalmente e financeiramente, enfim, ultrapassar essa fase intermediária chamada de “adolescência”. Eu sei o que você está pensando agora: “Mas isso não é assim! Com 18 anos! Esse escritor é maluco ou vive uma utopia!”. Viu como eu leio pensamentos? Eu sei que não é assim, sei como é, também tentei estender minha aparência jovem no tempo em que minha cabeça estava dominada, em que era dirigida pelo “é assim que as coisas são...”. Quando comecei a me libertar desse sutil comando e a pensar por mim mesmo, enfrentando o teste do espelho diariamente, quando o Just for Men não adiantava mais, resolvi que iria pela contra-mão, iria ficar adulto. Não foi fácil, olhava uma guria bonita, ela me chamava de tio. Uma estava me olhando, me entusiasmava, ela me dizia, “O senhor pode me dar uma informação?” Foi um verdadeiro choque de realidade! Até que comecei a pensar, por que essa vontade de não envelhecer, não parecer adulto, e, mais tarde, não parecer velho? Fui vendo de onde vinha aquela vontade, não vinha de dentro de mim, vinha de fora, estavam me convencendo disso, e eu havia assimilado de tal maneira que achava que era eu quem estava pensando e eram os donos da nossa

cabeça pensando por mim.

Estamos falando de uma Utopia, esse nome vem de um livro, de Thomas Morus, que fala de um lugar ideal, em que existe somente paz, amor, união, fraternidade, não existe violência, desigualdade social, miséria, fome. Utopia não é algo impossível, é algo difícil de alcançar, mas possível. Para chegar-se a essa meta é necessário que as pessoas formadoras de opinião, as pessoas influentes, as que possuem visibilidade, as que dirigem a política, as que dirigem o sistema financeiro, as que dirigem os meios de comunicação, utilizem sua inteligência nesse sentido e não para angariar ganhos egóicos, visar apenas o lucro financeiro, o luxo, o “aproveitar a vida”.

O que causa a pobreza é a riqueza, e o fim da pobreza necessita, obrigatoriamente, passar pelo fim da riqueza, mas isso só irá ocorrer quando os ricos entenderem que, mais importante do que ser rico, é almejar que todos sejam iguais e que a felicidade proporcionada pelo desejo de criar a igualdade na Terra é infinitamente maior do que qualquer ganho apenas para si e os seus. Mas o fim da riqueza nunca ocorrerá através da violência, isso já foi tentado várias vezes e nunca deu certo, pois as pessoas que assumem o poder já se achavam especiais e passam a se achar ainda mais, com o tempo também começam a desejar ser ricas, começam a encastelar-se cada vez mais, elas e os seus, e depois de um tempo transformam-se nos novos ricos e continua tudo igual. O fim da riqueza só ocorrerá com a evolução consciencial da humanidade, quando a sabedoria ultrapassar a inteligência, quando nos tornarmos adultos verdadeiramente, aí então o objetivo principal da vida será alcançar essa utopia que um dia existirá, quando chegarmos ao estágio de anciões espirituais, sábios, fraternos, generosos, e as máximas de Jesus estarão implantadas na Terra: “Tratar os demais como queremos ser tratados” e “Não fazer aos outros o que não queremos que façam a nós”. Nesse dia, as Religiões não serão mais necessárias, o ser humano já estará religado ao Divino.



Compartilhe

Autor: Mauro Kwitko   
CURSO DE FORMAÇÃO EM PSICOTERAPIA REENCARNACIONISTA E REGRESSÃO TERAPÊUTICA - Inscrições abertas Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Recife e Salvador Informações - www.maurokwitko.com.br 
E-mail: mauroabpr@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Publicado em 12/21/2017

Deixe sua opinião sobre este artigo

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


 
Energias para Hoje

energia
I-Ching: 19 – LIN – APROXIMAÇÃO
É tempo de alegria e esperança. Trabalhe, seja perseverante e deixe que os outros se aproximem, pois agir em conjunto será muito benéfico.


energia
Runas: Kenaz
Abertura de caminhos, iluminação e proteção.


21
Numerologia: Otimismo
Cante hoje, mesmo que seja intimamente. Encontre seu melhor sorriso e o mantenha. Ria mesmo das dificuldades será bem fácil superá-las hoje. Dê atenção especial a si mesmo e irradie alegria àqueles que encontra.
 
 
Horóscopo da Semana
Áries Áries Libra Libra
Touro Touro Escorpião Escorpião
Gêmeos Gêmeos Sagitário Sagitário
Câncer Câncer Capricórnio Capricórnio
Leão Leão Aquário Aquário
Virgem Virgem Peixes Peixes
 

+ Lidos da Semana anterior
1. 2018: Ano 2 da Árvore da Vida
2. Como fazer um homem ficar obcecado por você...
3. O Arcanjo regente de 2018
4. Previsões das Runas pra 2018
5. O que significa ter sonhos repetidos?
6. O que esperar de 2018?
7. Numerologia 2018
8. Como saber quando alguém não está tão a fim de você!


 
Voltar ao Topo
Siga-nos
Facebook Twitter Instagram Gogole Plus Youtube
Somos Todos Um é um parceiro do iG Delas
© Copyright 2000 - 2018 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - Política de Privacidade