Somos Todos UM - HOME
O seu Portal de Autoconhecimento e Espiritualidade



A fenomenologia do Alinhamento Energético e a autoinquirição  
Home > Autoconhecimento
A fenomenologia do Alinhamento Energético e a autoinquirição

por Fernando Padrão


Os professores do Advaita Vedanta sempre recomendam a prática da autoinquirição, ou seja, a pergunta (a procura) pelo eu fundamental, o eu espiritual. A prática é simples e natural. Nem poderíamos dizer que é uma prática, nem que é uma procura, porque nós já somos consciência, existência e bem-aventurança. Nós já somos aquilo que nós procuramos. Não haveria nenhuma necessidade de práticas, de regras, de disciplina, mas levar a mente para a sua fonte, descobrindo o que ela é. 

Existiria uma ignorância fundamental (avidya) entre o eu mundano (corporal, psico-emocional) e aquilo que nós somos (o self, o si mesmo, o Ser). Nós não somos nada daquilo que vemos, percebemos ou pensamos. Tudo é fenômeno, aparição. Nem podemos dizer que é uma aparência, porque o mundo dos fenômenos não esconde um outro mundo, um mundo mais real (por exemplo, o mundo das ideias de Platão). O Advaita vedanta e a fenomenologia não dizem que esse mundo é falso (aparência) e, portanto, deveríamos nos esforçar para sermos dignos ou merecedores de um outro mundo, um mundo mais real e verdadeiro. 

Tudo o que podemos ver e pensar é fenômeno e pertence ao mundo fenomênico, de aparições. Aparecer, ou fenômeno, é tudo aquilo que surge e se desfaz, ou seja, tudo é vibração (spanda). E nada há nesse mundo de verdadeiro, ele não esconde nada de real. O mundo dos fenômenos basta a si mesmo. Até mesmo a nossa personalidade é fenomênica, e perceber isso já seria um grande feito. Até mesmo os nossos sentimentos e intenções mais puras são fenômenos, isto é, surgem e se dissolvem. Assim, não deveríamos nos apegar tão profundamente a eles, considerá-los nossos.

Tudo o que surge, dissolve-se depois. Não é por isso que devemos ser pessimistas ou tentar abandonar ou destruir os fenômenos, como se nós fôssemos aquele que realiza, aquele que é real. Se eu tento modificar algo, acredito que sou algo diferente do fenômeno que aparece. Se existe alguma prática, ela deve ser a indagação por aquilo que não aparece e nem se dissolve.

O que não aparece e não se dissolve têm vários nomes. Na fenomenologia, é o Ser dos fenômenos, o horizonte a partir do qual tudo o que aparece se dissolve. O Ser é o plano (o campo) de tudo que aparece, mas é o que não aparece. O Ser pode ser a testemunha imparcial, o que não se confunde com os objetos, com o pensamento ou com o corpo. Pode ser o Self, o Si mesmo, o que não depende de nada para existir ou para ser visto, mas o que é consciente de si mesmo. É absoluto e não relativo a algo ou alguém. É um plano que produz a si mesmo e não depende de nada mais. 

Não existe uma prática, uma disciplina para chegar aí, chegar ao Ser de tudo o que surge. Pois toda prática é fenomenológica, não tem fundamento em si mesmo. Ou seja, a prática não tem fundo, profundidade o suficiente para chegar ao Ser. O que nós podemos fazer é percebermos tudo aquilo que surge, nossos medos, angustias, traumas, dificuldades como fenômenos, percebendo que surge e, assim, se dissolve. Que tudo o que sentimos não tem profundidade o suficiente para nos afetar naquilo que nós somos. Não podemos dizer que é uma prática, mas um fazer que acontece por si mesmo, que independe de nossos pensamentos e do nosso corpo. Mesmo que não queiramos, estamos sempre conscientes de algo, sempre existimos. A auto inquirição nos possibilita olhar para aquilo que nos aparece a partir de uma perspectiva diferencial. E nos ajuda a entender a fenomenologia do Alinhamento Energético. 

O alinhamento energético é uma terapia que visa transmutar, limpar, ressignificar conteúdos psicoemocionais, isto é, memórias, sejam elas conscientes ou inconscientes. Podemos dizer que o terapeuta funciona como um canal ou um facilitador do paciente consigo mesmo e não um canal entre o terapeuta e um mundo espiritual. Pois tudo o que podemos fazer é nos tornarmos conscientes daquilo que existe em nós, e aquilo que existe em nós não tem a realidade que atribuímos a ela. Podemos ver e observar aquilo que consideramos problemático a partir de uma perspectiva impessoal e assim desapegar, deixar ir, nos tornar distante.

O alinhamento energético é uma ferramenta terapêutica que facilita o distanciamento conosco mesmo. Nos ajuda a desapegar, nos distanciar daquilo que consideramos um problema real e uma parte insubstituível de nós mesmos. 
Texto Revisado




Compartilhe

Autor: Fernando Padrão   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   
Publicado em 5/16/2017

Deixe sua opinião sobre este artigo

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


 
Energias para Hoje

energia
I-Ching: 18 – KU – A REAÇÃO
Agora é o momento certo para deixar de hesitar e agir. Energia e boa vontade são indispensáveis.


energia
Runas: Raidho
Analise novas oportunidades, mudanças para melhor.


17
Numerologia: Finanças
Dia de disciplinar, organizar, estabelecer planos, ser prudente e enxergar longe. Procure progresso e o atrairá, esteja alerta para possibilidades de ganhos, pois as oportunidades surgirão.
 
 
Horóscopo da Semana
Áries Áries Libra Libra
Touro Touro Escorpião Escorpião
Gêmeos Gêmeos Sagitário Sagitário
Câncer Câncer Capricórnio Capricórnio
Leão Leão Aquário Aquário
Virgem Virgem Peixes Peixes
 

+ Lidos da Semana anterior
1. Mães narcisistas e suas filhas
2. Como fazer um homem ficar obcecado por você...
3. A Oração do Perdão
4. Como saber quando alguém não está tão a fim de você!
5. Quem manda em você? Descubra os 3 motivos que limitam suas escolhas!
6. Dicas para criar um nome para a sua empresa
7. Sou comprometido, mas estou a fim de outra pessoa... E agora?
8. Limão para tratar o Sistema Digestivo


 
© Copyright 2000 - 2017 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - Política de Privacidade