Artigo de Bernardino Nilton Nascimento: A força da vontade. - | Artigos do Clube
 
A força da vontade.  
   

A força da vontade.

Autor Bernardino Nilton Nascimento - bn.nascimento@uol.com.br


A energia vital da “vontade” não se colhe como uma flor no jardim, mas se conquista com lutas e se extrai, por vezes, como o carvão, das profundezas escuras das nossas minas interiores.

Uma dessas fontes internas nasce nas ideias elevadas que se faz da vida. Todos nós sentimos admiração a tudo o que se relaciona com a vida, e as surpresas que nascem em nossos caminhos não devem mais nos abalar. É necessário deixar de lado o que, aparentemente, seja um fracasso, e voltar à realidade da vontade apurada e ao desejo de realizações.

É possível descobrirmos algo naquilo que pensávamos conhecer há tempos. O segredo é só mudar o olhar, porém, não é nada fácil. Nós costumamos olhar sem ver, todavia, nos aborrecemos com certa facilidade com aquilo que não conseguimos enxergar. O que os circunda e os toca de perto os deixam frios. E esse desprezo por aquilo que está próximo, ao nosso alcance, não é mais do que a ideia miserável que temos da própria vida. Certo, cada um tem seu orgulho, mas é um orgulho que se apega ao que há de medíocre em nosso íntimo.

Muito embora orgulhosos da nossa personalidade superficial, carecemos da nobreza, que nasce do respeito pelo nosso ser profundo. E esse sentimento, no entanto, é uma fonte de ideias. O ser humano que enxerga além de sua visão, de sua perspectiva, vendo o todo e o seu próximo, terá uma atitude moral bem mais elevada do que aquele que se deprecia em face da sua própria cegueira. 

O ser humano que recebe a revelação de sua dignidade, passa alguma coisa semelhante e mergulha na sua fonte, remonta à sua origem, mede e experimenta os seus santos esforços, dores, paciências, esperanças, humildade. Incalculáveis trabalhos, reunidos nesta vida de que ele se fez herdeiro. A alma dos séculos passou por sua alma. A grande esperança, que anima e sustenta todo esse doloroso desenvolvimento da humanidade, é a esperança de um tempo brilhante a ser vivido. No caminho, encontraremos a vontade, que um dia desejou estar no mundo para se materializar. Temos que compreender que somos a própria essência da fé, a esperança da humanidade. De agora em diante, não mais podemos sentir que estamos com nossas forças reduzidas, mas devemos aumentá-la, dando-lhe todo o impulso dos séculos e todo o socorro da Eternidade.

Não há outra chave para o mundo que a fé. Eis a grande verdade!

O ser humano foi feito para se tornar cada vez mais humano, para manter sua vida, para auxiliar os outros a manterem a deles, tudo em um crescimento constante. E esse crescimento exige o desenvolvimento contínuo de todo o ser - físico, intelectual e moral – com sua harmoniosa reciprocidade. Fomos feitos para darmos verdade à vida, à vida justa. E temos que combater tudo o que for contrário a isso. As ideias têm que ter como seu ponto principal e culminante, a justiça. Medite, fortaleça-se, porque a vida é uma batalha onde sofremos quando preciso, mas nunca sem perder a esperança e a fé.

E depois? O depois, como o antes, pertence à sua “vontade”. Só ela conhece o segredo ancestral do Universo. Ela quis que as coisas próximas a nós nos parecessem mais importante do que as que se acham afastadas, por isso, nossa responsabilidade está ligada à “vontade”.

Faça o que deve ser feito, aquilo que seu interesse superior exige que você faça. Depois se acalme e confie naquele que sabe por que o mundo gira. O dogma fundamental é crer na vida. Não seja tolo de perder a vontade e a esperança.

BNN



Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Bernardino Nilton Nascimento   
-"Não seja um investigador de defeitos e, sim, um descobridor de virtudes"! BNN - "Quando a ansiedade assume a frente, as soluções vão para o final da fila"! BNN
E-mail: bn.nascimento@uol.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 16/09/2017
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.