Artigo de Rakel Possi: Ansiedade: além da doença física - | Artigos do Clube
 
Ansiedade: além da doença física  
   

Ansiedade: além da doença física

Autor Rakel Possi - rakelpossi@rakelpossi.com



Vivemos numa época em que há tanta movimentação física e mental que a ansiedade está arraigada em nós e pode ser confundida com outros sintomas. A ansiedade pode desencadear outros problemas como depressão, bruxismo (ranger de dentes), torcicolo intenso, insonia grave, medos podendo chegar ao pânico, problemas de coluna e acidentes. Por tudo isto é que precisamos entender e tratar dela. A pressa pela vida, a ambição por aquisição de bens ou por manter um status que já não se tem podem ser algumas das causas da ansiedade, mas também há muita informação, uso excessivo de celular, mau uso das máquinas (motos, carros) que levam à intolerância e agressividade que vemos todos os dias, infelizmente.

Já não parece, é fato: todo mundo quer resolver as coisas como melhor lhe convém sem respeitar os limites dos outros. É bom que não nos iludamos mais com fantasias sociais: quem apoia este ou aquele na política não está pensando de forma humanitária ou ampla, para todos; o faz esperando que alguém facilite a vida dele. Por isso se culpa o governo, qualquer um, pelos problemas. Então, vamos brigar para tirar um e por outro porque assim não temos que pensar na vida própria, de repente, pomos outro que melhore (para cada um, individualmente) Depois de um tempo se vê que o ‘outro’ não fez o esperado e então ‘vamos tirar de novo’.

Este processo é completamente inadequado para pessoas que desejam crescer, prosperar e evoluir como ser humano. A mente não suporta tanta pressão! Temos um sistema inconsciente que nos poupa de tanto sofrimento fazendo com que o esquecimento e o sono ajam como válvulas muito apropriadas para que o cérebro alivie o peso, mas cada um precisa ter atitudes que colaborem efetivamente com o combate à pressão que gera ansiedade. Uma das maiores geradoras dela é a preocupação. Como o nome diz é pre-ocupar-se com algo que não sabemos que resultado terá. A energia da mente se ocupa, obrigada por nós, com hipóteses de situações das que não há nenhuma certeza. Como reconhecer quando estamos perdendo energia e gerando ansiedade? Sempre que se pegue pensando ‘e se…’ está fazendo isso. E se fulano de tal ligar? E se não me encontra? E se não passo no concurso? E se passo? E, e, e …..
A mente tem que se ocupar com coisas fictícias e não pode ocupar-se com as que de fato deveria. A ansiedade tira o sono: é verdade. O que fazem os remédios para dormir? Obrigam a mente a não pensar agindo sobre o sistema nervoso e provocando alterações mentais. Não é muito melhor aprender a controlar a ansiedade? Concentre-se somente no que lhe interessa de fato. Em todas as situações há somente duas opções de respostas: sim ou não. Tudo o que for entre estas duas respostas são possibilidades e não certezas.

Além disso, algumas vezes o que você quer não depende da sua vontade, mas da decisão de outra pessoa. Então, faça o melhor que tiver que fazer e deixe que a vida siga seu rumo. Não há como interferir sobre os outros. Muito melhor do que isso é acreditar que o Universo ‘sabe’ o que é melhor para cada um e o faz acontecer na hora certa e com as pessoas certas. Basta com que você se dedique, estude, se comprometa, trabalhe bem e deixe que Ele faça o resto.
Mas ainda falta algo para combater a ansiedade e manter a saúde: descansar. É imprescindível que tenha um tempo de descanso e relaxamento e que ele seja periódico e respeitado. Não pode interrompê-lo por qualquer coisa; precisa desligar o celular e lembrar de como vivia quando ele não existia. Há tempo para tudo, inclusive para responder a pessoas que pensam que podem enviar mensagens a qualquer hora da noite! Neste ponto, incluo a meditação ou prática de ioga, tai-chi-chuan ou outras técnicas que o levem se encontrar com a paz. Se tiver estes cuidados, controlará a ansiedade até eliminá-la e terá uma vida muito melhor com certeza. Trabalhará com mais tranquilidade e o sucesso virá para alegrá-lo.





Texto revisado




Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Rakel Possi   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   

Publicado em 17/02/2017
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.