Artigo de Daniele Alvim: ESPIRITUALIDADE X PROSPERIDADE - | Artigos do Clube
 
 
   

ESPIRITUALIDADE X PROSPERIDADE

Autor Daniele Alvim - danielealvim@hotmail.com


Nós, que fomos educados segundo a linha de pensamento judaico-cristã, ainda sofremos crises de consciência em relação ao que seria a certa medida entre sermos abastados financeiramente e também estarmos na senda da auto-realização espiritual. Tal paradoxo foi criado desde os primórdios da fundação da Igreja Católica, quando várias passagens da bíblia foram reescritas de forma a retratarem a idéia de que somente aqueles que se despojassem de todos os seus bens materiais é que poderiam seguir uma vida espiritual dentro do que foi preconizado por Jesus, o Cristo. A bem da verdade, sabe-se que atualmente a Igreja Católica é uma das instituições religiosas mais ricas do mundo, senão a maior delas. E se fizermos uma pesquisa mais acurada nos anais da história cristã, poderemos vir a constatar que a imposição do voto de pobreza em relação aos fiéis foi a forma que a Instituição da Igreja Católica achou para estender seus domínios pelo mundo e ganhar poder.

Acredito que esse pensamento, que muitas vezes nos faz sentir uma terrível culpa em relação ao dinheiro, está gravado em nosso DNA, nossa herança ancestral, que desde muito tempo vem nos acompanhando e nos impedindo de sermos pessoas mais prósperas em todos os sentidos, principalmente o material. E muitos de nós, que também temos a proposta de auxiliar o próximo em seu caminho espiritual, muitas vezes nos deparamos com esse dilema entre cobrar de forma justa pelo investimento contínuo que fazemos para aperfeiçoarmos nosso ofício e o tempo que despendemos com nosso trabalho, e o fato de tal ofício ter como essência também o aspecto espiritual. Mas é verdade que temos muitos exemplos de homens e mulheres que em seu Caminho Espiritual renunciaram à vida material, muitos deles Mestres Ascencionados ou Santos. São Francisco de Assis e Madre Tereza podem servir de exemplo. E são grandes exemplos.

Mas a grande questão, acredito, que muitas vezes nos atormenta, é a noção de que desejar a prosperidade é quase um “pecado” e que, em isso se concretizando além do que seria razoável, automaticamente teríamos nosso valor espiritual diminuído e o impedimento de continuar seguindo dignamente a Senda. Trocando em miúdos, será mesmo que nos tempos de hoje nós que estamos seguindo o caminho espiritual ainda temos que renunciar à aspiração de uma vida mais próspera para encontrarmos a realização espiritual?

A história de Vicky Wall, a mulher que tornou possível a existência do Sistema Terapêutico Aura-Soma no mundo, possui um grande aprendizado. Antes do nascimento do primeiro frasco de Óleo da Aura-Soma, Vicky perdera todo o dinheiro que tinha ganhado pela venda de sua única casa. O advogado que cuidara da negociação resolveu pegar pra si o dinheiro, deixando-a sem casa, sem recursos financeiros, ainda por cima, ela acabara de ficar cega devido a problemas de saúde. Ao invés de processar o advogado pelo prejuízo que ele lhe causou, o que tinha todo o direito, Vicky virou-se pra Deus e o perguntou o que ela deveria aprender com essa experiência terrível. Após o terceiro dia meditando nesta questão nasceu o primeiro óleo Equilibrium da Aura-Soma.

Atualmente a Aura-Soma é uma empresa em franca expansão que possui 22 anos de existência, está presente em mais de 56 países do mundo e seus produtos são usados por mais de 2 milhões de pessoas. Mike Booth, seu atual presidente, considerado um professor espiritual incansável, me ensinou algo sobre prosperidade que me surpreendeu. Ele nos ensinou que o primeiro estágio no caminho do despertar espiritual é o aprendizado com a energia vermelha, que nos dá o enraizamento ou “grounding” necessário para que possamos realizar nossa missão no aqui e agora; e este aprendizado também envolve o difícil aprendizado com a energia monetária. Se não sabemos lidar saudavelmente com essa energia não acessamos a luz necessária, o entendimento necessário para dar o próximo passo no caminho da evolução, que em última instância seria o total desapego em relação à vida material.

Se o dinheiro é algo necessário neste mundo em que vivemos hoje, se é o que nos dá a oportunidade, inclusive, de expandirmos nossa visão a respeito do mundo, nossa consciência, pelas próprias oportunidades que podemos ter se o tivermos em disponibilidade, como podemos pensar que em si ele pode causar algum mal? Cheguei então à conclusão de que a questão não é se desejar ou não dinheiro, ou tê-lo ou não tê-lo. A questão é como nos posicionamos em relação a ele, tendo muito ou muito pouco, pois é a intenção por detrás de qualquer coisa que fazemos ou desejamos é o que faz a experiência, ao final, acarretar darma ou carma.

O Frasco Mestre da Aura-Soma correspondente à energia do Cristo é cristalino sobre vermelho. A cor violeta, união do azul com o vermelho, indica que o espiritual é fruto da união ente o céu (azul) e vermelho (terra). Um não pode existir sem o outro. No Feng Shui a cor da prosperidade é violeta. E se olharmos com bons olhos à nossa volta podemos perceber que o universo é próspero e abundante. A Mãe Terra está aí para nos acolher sem limites.

Aceite a energia de prosperidade em sua vida! Caso contrário estará agindo como um peixe que nada contra a corrente... E por falar em peixe, não foi Jesus que fez o milagre da multiplicação dos peixes, e dos pães também? Certamente Ele também foi alguém muito próspero!

Paz e Luz!

Texto revisado por: Cris


Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Daniele Alvim   
Daniele Alvim é Escritora, Terapeuta e Professora de Aura-Soma
Visite seu Blog, Twitter e minha comunidade de Aura-Soma no Orkut.

E-mail: danielealvim@hotmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 23/08/2006
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.