Artigo de Fernanda Luongo: Você é o Criador da sua Realidade - | Artigos do Clube
 
Você é o Criador da sua Realidade  
   

Você é o Criador da sua Realidade

Autor Fernanda Luongo - fernanda_luongo@hotmail.com


Você acha que suas ações não impactam o meio no qual você está inserido? Crê que não importa o que faça, sua realidade e a dos demais continuará a mesma? Se sua resposta foi afirmativa às questões acima citadas, temo ter que decepcioná-lo, mas você está completamente enganado.

Você pode ainda não ter percebido, mas nós somos criadores de nossa própria realidade, bem como responsáveis por cada ação que vivificamos e por suas consequências. Não somos vítimas das circunstâncias, nem do meio, nem do fatídico destino... Somos, sim, seus senhores!

Cada ação nossa, mesmo que pequenina, causa um determinado impacto no meio e nas pessoas com as quais nos relacionamos em nosso dia a dia. Pare para observar suas ações cotidianas. Pegue um dia, por exemplo o dia de hoje, e comece a prestar atenção no seu trato com as pessoas. Qual sentimento você está emitindo a elas? Observe suas palavras. O que tem dito às pessoas? Tem as encorajado? Desestimulado? Sua boca profere mais negatividades do que coisas positivas?

Quando perceber que a consciência de seus atos e palavras aumentou, tente ir além. Veja até onde pode se alastrar o efeito de uma ação gerada/ iniciada por você. Plante uma semente e veja como ela frutifica. Por exemplo, você elogia um colega de trabalho que estava cabisbaixo e ocioso e percebe que após receber aquela infusão de energia positiva ele se transforma e passa a ter mais iniciativa. Isso por si só resulta no aumento da autoconfiança que por sua vez se traduz em encorajamento: aquele seu colega finalmente consegue convidar a moça que ele tanto sonhava para um jantar! Mais adiante, anos à frente talvez esse seu colega e a moça se casam. Percebe como uma ação pequena pode resultar em algo muito maior?

De forma contrária, você pode semear algo negativo e acompanhar a sua evolução. Exemplo: você responde atravessado a alguém e isso causa uma ira súbita dentro da pessoa. Ela sai nervosa do recinto onde ocorreu a discussão desatenta e, perdida em pensamentos negativos, entra no carro e por não perceber o outro motorista vindo em alta velocidade acaba colidindo com o outro veículo.
Muitas vezes nos percebemos como seixos frágeis à margem de um horizonte de eventos, mas de fato esse pensamento apenas faz com que ocupemos aquele local de vítimas de uma força com a qual não temos poder nenhum para lidar, e isso, meus caros, é uma inverdade.
Todos nós somos poderosos transformadores de energia. Nós não criamos a energia, mas podemos transformá-la consciente ou inconscientemente. Na maior parte do tempo, fazemos isso abaixo do nível de nossa consciência, mas isso não quer dizer que outra força – além de nós mesmos – faça isso por nós.

Precisamos assumir mais responsabilidade por nossas emissões sejam elas formas-pensamento, sentimentos ou ações. Dessa maneira passamos a compreender melhor o conceito de “quando eu mudo, o mundo muda”, e a frase famosa de Mahatma Gandhi: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”.

Você quer viver num lugar melhor? Então, seja melhor! Você quer viver num ambiente mais amoroso? Então, seja mais amoroso. Idealiza uma sociedade mais fraterna? Seja fraterno. Quer respeito? Respeite o próximo.

Parece simples, mas não é. Para transformar a energia é necessário um certo esforço e uma boa dose de vontade. Vontade real, vontade visceral. Só assim transformamos o 110V no 220V.

Não perca seu tempo pensando: “Vou ter todo esse trabalho para mudar enquanto a maioria nem sequer se sacode?”. O que a maioria faz ou deixa de fazer não é relevante, pois para que haja uma transformação real em massa é necessária que apenas uma ínfima parte dessa massa esteja comprometida com a real transformação. Isso prova que sim afetamos nossa realidade e que sim mudando a nós mesmos mudamos os outros e transformamos o mundo. Você pode ficar sentado e esperar que outro alguém faça isso por você e tudo bem. Nessa postura você ainda escolhe ser apenas a vítima, o seixo frágil mencionado no texto. Neste estado você escolhe não ter poder sobre sua vida e seu destino. Não há problema algum nisso. Mas, se você quiser ser a causa e não o efeito; se você quiser elevar sua capacidade de transformar energia e ser o dono de seu próprio nariz e de seu destino, se quiser mudar a sua realidade aconselho a começar agora o processo.

Faça o teste. Repare em suas emissões: pensamentos, sentimentos e ações geradas e acompanhe o desenrolar de seus efeitos no meio e nas pessoas com as quais interagiu.
Assuma as rédeas de sua vida e conduza os seus dias com consciência plena. Esteja ciente de cada semente que planta e certifique-se de plantar sempre o melhor! Desligue das pequenas voltagens e eleve um pouco mais...

Texto revisado


Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Fernanda Luongo   
Cantora, escritora, autora de três obras literárias já publicadas no país, terapeuta holística, registrada no Conselho Nacional de Terapia Holística CRT: 46.801 e originadora do Método Akhenaton®.
E-mail: fernanda_luongo@hotmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 01/07/2016
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.