Artigo de Marian Ma Dayamayi - Marta Magalhães: Afinal, a mente pode ser controlada ou não? - | Artigos do Clube
 
Afinal, a mente pode ser controlada ou não?  
   

Afinal, a mente pode ser controlada ou não?

Autor Marian Ma Dayamayi - Marta Magalhães - mariansoluz11@gmail.com


Alguns dizem que não, que a mente é agitada e que não pára de pensar... mas nós afirmamos que sim, a mente pode ser controlada e convidamos vocês a refletirem junto conosco sobre isso.
Quando você conta de um a dez, a sua mente está pensando em que?
Quando você se concentra na sua respiração a sua mente está pensando em que?
Quando você se concentra em qualquer atividade que está fazendo a sua mente está pensando em que?
E o que você nos diz de uma pessoa que consegue hipnotizar uma outra? Ela não está controlando e sugestionando a mente da outra fazendo com que ela o obedeça? Se uma pessoa controla a mente de uma outra, por que não poderia controlar a sua própria mente?
Quando fazemos uma meditação guiada não estamos controlando a direção da mente?

Outro ponto, quando você entra em silêncio e mergulha no vazio, você está pensando em quê? Na verdade, se você pensa em algo quando está praticando meditação, ainda não alcançou o estado meditativo. O verdadeiro estado meditativo é de contemplação e receptividade, e não de ficar elaborando pensamentos...

Uma coisa é certa, a mente não pode se concentrar em duas coisas diferentes ao mesmo tempo. Você pode fazer uma coisa com o corpo e estar pensando em outra coisa, mas não vai estar concentrado nas duas ao mesmo tempo. Você vai se distrair, devanear e não vai fazer um dos dois com presteza.

Bem, poderíamos dar vários outros exemplos de técnicas de concentração e controle da mente...
Mas o que queremos dizer com isso é que você é completamente capaz de controlar a sua mente para que ela passe a exercer a sua verdadeira função de intermediária entre a nossa Consciência e o plano físico... e assim pare de "caraminholar" criando pensamentos sem fim, lhe deixando zonzo e sem saber o que fazer. Você precisa entender que, na verdade, você é o comandante, e a mente sua subordinada... isso deve ficar bem claro.

É você que determina o foco, que dirige.

Entenda, se você é Consciência, parte do Absoluto, do Supremo, então, tem o poder de manter sob controle um instrumento que é parte de Si mesmo, não é verdade?

Ao dizer que podemos controlar a mente, queremos chegar a um ponto mais importante; se não controlarmos a mente, não teremos condições de discernir prontamente entre o ego e o Eu. De que adianta ter apenas o conhecimento teórico de que somos Consciência, de que não somos os nossos pensamentos e que a dualidade é uma ilusão? É preciso ir além...

Não adianta saber que só a Unidade existe... é preciso desapego e humildade para desfazer a ilusão da dualidade na sua mente, deixar ir o falso eu para que a Unidade seja vivenciada em plenitude e permanentemente...

Não adianta ter por um instante a percepção da Unidade e logo depois isso se perder porque não se conseguiu ainda transcender a personalidade... não se conseguiu ainda se desvincular dos sentimentos, emoções e desejos do ego...

Sim, a percepção da Unidade pode acontecer por um breve momento sem que a Realização plena tenha acontecido. Você experimenta a percepção do Eu e logo em seguida... Puf!!! Foi-se...

Entendam, o ego é muito cristalizado e arraigado... ele adora dramas, negatividade, baixa autoestima, além do orgulho e de vários outros condicionamentos... Além disso, também tem facetas que podem lhe confundir até mesmo em relação à espiritualidade, à Verdade... para isso ele cria a dubiedade de sentidos para que uma ilusão se pareça com verdade... e assim lhe afasta um pouco mais...

Isso pode parecer desanimador e muito confuso, mas você pode se ajudar utilizando a inquirição "quem sou eu?" junto com uma ferramenta muito simples: o silêncio, a meditação. A inquirição desperta e o silêncio sustém.

A prática da meditação tem o poder de controlar e silenciar a mente; e como a mente é a "mãe" do ego, quando conseguimos controlá-la e silenciá-la fica fácil desmascararmos a sua criação...

Quando meditamos, conquistamos o discernimento necessário para que a nossa visão não seja mais deturpada pela mente.

Quando nos silenciamos acessamos o nosso verdadeiro estado de Ser e nesse estado nossa mente alcança níveis mais altos de compreensão tornando-se uma ponte entre o corpo e a Consciência, passando a compreender intuitivamente a sua natureza e origem eternas. O Ego então é dissolvido pela Verdade, e a Mente e a Consciência voltam a religar-se em comunhão de êxtase e bem-aventurança, realizando em Si a União consciente com o Todo.

Assim passamos a enxergar a Realidade como ela É, sem ilusões... e sem ilusões a Conscientização do EU acontece... e permanece...

Namastê,

Marian Sóluz

Conheça mais sobre o nosso trabalho:http://meditandosoluz.blogspot.com.br/p/servicos.html

Curta a nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/marian.soluz
Nosso perfil no Face: https://www.facebook.com/marian.soluz.5


Texto Revisado
 
 



Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Marian Ma Dayamayi - Marta Magalhães   
Marian Ma Dayamayi é Professora de Meditação e Terapeuta Holística. Oferece Satsangs, Retiros Espirituais e Oficinas de Mandalas. Atendimentos Individuais presenciais e online. Informações (31) 98801-7838.
E-mail: mariansoluz11@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 09/09/2015
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.