Artigo de Bernardino Nilton Nascimento: A crise - | Artigos do Clube
 
 A crise  
   

A crise

Autor Bernardino Nilton Nascimento - bn.nascimento@uol.com.br


A crise é importante do ponto de vista das mudanças, da busca de um novo caminho, um novo ambiente para estimular a criatividade, sair das mesmices, das rotinas, da zona de conforto. Ela estimula a esperança, alimenta a fé, faz meditar, reconhecer os próprios erros, olhar para dentro de si mesmo e dizer: “SIM!!!” eu posso criar, eu posso mudar, eu acredito.

As crises estão relacionadas aos nossos sistemas financeiros, físicos, mentais e espirituais, mas também temos a crise de um país, um tipo de crise coletiva a afetar toda uma população; trata-se de um relacionamento único, vivido por quase todos ao mesmo tempo. E se não bastasse, temos as crises que nós mesmos criamos, sem critério, em nossas mentes.

Podemos dizer que sempre estamos atravessando um determinado tipo de crise e ela é necessária para nossa evolução. A crise também é um tipo de insatisfação, pois o ser humano anda sempre procurando algo mais e isso cria em nossas mentes uma crise que aparentemente pode ser normal, porém, pode fugir do controle e se tornar grave, porque, por trás dela, vem o egoísmo, a inveja e naturalmente a insatisfação de quem está em nossa volta, e alimenta um ambiente ruim, um ambiente em crise.

Não podemos esquecer das crises conjugais, crises no trabalho, crises de relacionamentos, de doença onde a crise não afeta somente o paciente, e sim, a todos que estão em sua volta.

Eu poderia apresentar algumas sugestões, porém, existem dezenas, milhares de livros a respeito, onde são mostradas saídas milagrosas para todos os tipos de crises. Mas quem está em crise pode também estar sofrendo de depressão; podemos dizer que crise e depressão são irmãs. E os exemplos de sucesso de uma ou mil pessoas que os livros falam não conseguem entrar em nossas mentes com facilidade, sempre vamos pensar que tudo não passa de um golpe de sorte. Esquecendo as lutas que eles tiveram, diminuindo assim, os méritos vitoriosos dos que tiveram a criatividade, a coragem, os sacrifícios, a perseverança e a fé.

Sempre concluímos que começar do zero é muito difícil, superar uma crise financeira, onde todos que estão em sua volta também se encontram, é se ver nadando em alto mar com incontáveis pessoas sem ver um sinal de terra firme.
A crise tem mais influência nos mais necessitados e mais humildes? Não, ela se enraíza nos mais medrosos, o medo está ligado ao fracasso que coloca uma nuvem negra entre seus pensamentos criativos, somada à falta de fé e, naturalmente, à confiança.

As crises, encabeçam a lista dos motivos básicos da vida que inspiram todas as ações voluntárias de cada um de nós. Através da emoção, do amor ao trabalho, a crise financeira pode nos levar a uma nova realidade, um novo caminho, onde podemos descobrir nosso verdadeiro dom envolvido de um espírito que desconhece o fracasso.
Mas não podemos esquecer de que a inveja, as implicâncias e as diferenças, facilitam encontrar defeitos nos vitoriosos e, deste modo, não alimenta a esperança, a criatividade e a fé.

Em qualquer uma das crises que mergulhamos, não podemos deixar de observar que não passa de um período de intercâmbio amigável entre você e seu interior; ela chega na maioria das vezes sem avisar, aí devemos parar e meditar, mergulhar para dentro de nós mesmos e procurar a verdade entre você e o seu Eu mais profundo. Nesses momentos, temos que ter coragem de reconhecer nossos erros, como estamos agindo com as pessoas, e com nós mesmos, vamos sentir a sinceridade entre a consciência e nossos pensamentos, nosso modo leviano de agir. Neste encontro vêm a toma as verdades, assim começam a ficar claros nossos próximos passos, nossas próximas ações e atitudes. Continuando a prática da meditação, logo vamos descobrindo e tendo consciência dos nossos erros; começa o caminho da mudança e naturalmente vem a criatividade, a coragem, a necessidade de se encontrar, de caminhar e se sustentar, pois sempre vai existir alguém que precisa de nós. Na doença, descobrimos o caminho da espiritualidade. Unindo a família em torno da fé se manifesta a força, que jamais pensávamos possuir e conhecemos Deus com bem mais clareza.

Quando pensamos que está tudo bem nos acomodamos com a situação, mas o Universo quer mais da gente, ele quer nossa evolução, que sejamos sustentáveis uns com os outros. Existe alguma coisa melhor para unir as pessoas do que uma crise? Muitas famílias se unem na doença! Triste saber que tudo isso em sua maioria seja verdade. Porém, podemos mudar e aprender a nos unir nos bons momentos. O mundo gira e muda a cada volta, e não podemos ficar parados pensando que está tudo bem; temos que mudar também para melhor a cada dia, a cada hora, a cada minuto.

Acredito que você esteja compreendendo exatamente o que estou querendo dizer. Seja qual for a crise, não podemos deixar que se transforme em uma depressão, e vamos nos unir, buscar ajuda, alimentar a esperança, criar uma saída, trazer de volta o espírito familiar, procurar objetividade e evolução constante com nossos pensamentos. Temos uma grande oportunidade de desenvolver a criatividade que somada com a força de vontade, a fé, a confiança --envolvendo os desejos de fazer o próximo feliz--, com toda certeza será direcionada a novos rumos que irão tornar nossas vidas mais alegres, mais prósperas e mais humanas.

O amor abundante pela vida deve preencher as necessidades tanto de seu corpo como da sua alma, do seu coração e do seu espírito, para que, de forma generosa, saibamos distribui-lo sem discriminação a todos os seres humanos.
Onde existe o verdadeiro amor não há egoísmos, as crises se transformam em aprendizados, em aprimoramentos e lições que vão nos trazer as saídas para uma vida melhor.
Então, tudo que buscamos nas leituras, nas experiências dos outros, só irá mostrar que todas as saídas das crises dependem mesmo de uma ação, de uma atitude que está dentro de cada um de nós. Fazendo uma reflexão, para aceitar as mudanças necessárias, mergulhando para dentro de si mesmo; buscando a criatividade, a força de vontade, a coragem e a fé, tudo pode mudar em sua vida, trazendo de volta antigos amigos, reunindo a família, sendo verdadeiro...
Não diga a palavra desempregado, e sim, "na luta para novos desafios"; sempre sonhando acordado com seus objetivos, vendo-se realizando, trabalhando... isso tudo se chama registro, e nada deve ser feito sem registro, neste caso, registramos no mundo da imaginação, que fica em alguma dimensão. Fazendo as coisas certas, logo esses objetivos virão de volta concretizados, poderão até tomar um outro caminho de volta, mais o principal, que é sair da crise, com certeza irá acontecer.

Porém, toda ajuda, toda leitura, todas as ideias, sendo suas ou não, só valem 1%, os outros 99% dependem só de você querer.
Aprenda a estar no meio da crise, mas não se deixe amarrado a ela. A palavra crise é desculpa de fracassados.

BNN

Texto Revisado


Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Bernardino Nilton Nascimento   
-Não seja um investigador de defeitos e, sim, um descobridor de virtudes.
E-mail: bn.nascimento@uol.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 07/07/2015
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.