Artigo de Bernardino Nilton Nascimento: Amor, paixões e emoções - | Artigos do Clube
 
 Amor, paixões e emoções  
   

Amor, paixões e emoções

Autor Bernardino Nilton Nascimento - bn.nascimento@uol.com.br


Os estados efetivos, quer sejam espontâneas emoções, significam resultados de sentimentos como amor e paixões; são extremamente complexos, por que ainda não aprendemos a conviver em perfeita harmonia com nós mesmos e com o próximo; esses sentimentos são fiéis no desenvolvimento das nossas maiores emoções.

Aquilo que achamos ser uma emoção simples, na verdade, já são estados avançados, porque lidar com as emoções já é um estado complexo totalmente inexplicável.

Há aí um elemento fundamental da vida efetiva, onde as emoções são os últimos, do qual, não podemos remontar de uma hora para outra uma situação agradável ou não. As emoções podem nos deixar retraídos ou explosivos. Porém, elas deixam um certo rastro que pode até destruir um estado de equilíbrio. Mas no meio das emoções, existem as paixões, que se confundem com o amor. Claro, que os dois são essências em nossas vidas, lidar com eles em harmonia é um grande desafio.

No amor, encontramos as virtudes de doar-se, do prazer, da alegria e do equilíbrio, não podemos deixar o amor virar uma grande paixão, porque quando o amor vira paixão, ele se transforma em apego, que passa a ser um grande problema em nossas vidas. Porque, do apego vem o sentido de posse de poder, ficamos autoritários sufocamos as pessoas mais próximas, nos traz desequilíbrios emocionais, até queremos doutrinar quem amamos. Buscamos nossos objetivos atropelando pessoas com ideias que vão nos levar ao insucesso. Na paixão tudo é muito inconstante, não nos sentimos seguros e estamos sempre em estado de medo, com a sombra do sentimento de perca, e este estado em sua grande maioria nos deixam tristes.

Devemos deixar o amor nascer pela vida, pelo ser humano, pela convivência e pelo prazer de viver cada momento com a pessoa amada. Podemos, também, construir em nossos corações o amor altruísta, que traz o prazer de conviver com o próximo e pelo próximo.

A paixão deve crescer por nossos objetivos, nossos sonhos, nossos trabalhos e nossas criações. Paixão é um degrau mais forte, que vem com a vontade desenfreada para conseguirmos nossos objetivos com grandes esforços para suas realizações.

Esses dois sentimentos, que aparentemente se cruzam, ou se confundem, em ser ou não ser, ou melhor, amor ou paixão, porém devemos aprender a lidar com os dois em separados, pois os dois são extremamente importantes para impulsionar nossas emoções.

O processo elementar que dá nascimento aos nossos estados de prazer é o amor, ele nos leva a uma visão constante de alegria, de equilíbrio, mesmos que às vezes tenhamos tropeços, ele nos faz a enxergar sempre o outro lado suave das situações. Isso já não acontece com as paixões, pois basta um tropeço que aparece a dor, uma dor na alma que pode despertar nosso lado negativo e levar tudo a perder. Lidar com as paixões requer mais foco, mais calma, e em constante estado de vigilância, pois a paixão extrema, quando sofre um tropeço, pode nos levar a depressão, ao desânimo e até a agressão ao próximo e naturalmente uma explosão interior de difícil cura.

Nossas emoções vibrantes e prazerosas, dependem do amor, que por sua vez dependem de conviver perto da paixão, porém, a paixão deve ficar longe do apego, do poder.

Mas, ao lado desses sentimentos que se encontram em todas as emoções, um depende do outro para nos oferecer melhor qualidade de vida. O amor consiste em associações dos hábitos úteis de uma vida em harmonia constante em nosso interior, isso é, da visão do coração para a alma. A paixão já vem do coração para mente, para os pensamentos bons e ruins, a paixão não deixa a mente parar e descansar, em uma satisfação mais extrema doentia. Saber lidar e unir essas emoções, é o nosso grande desafio para conviver em harmonia com nós mesmo, e com o próximo.

Há, efetivamente, numerosas emoções que são inexplicáveis, elas fazem sorrir, se arrepiar, se emocionar de alegrias e sofrimentos, que se evolui em ideias, uma espécie de transporte do estado afetivo para uma outra dimensão interior do nosso ser.

As emoções produzidas pelos acontecimentos imediatos, podem ser provocadas depois de uma lembrança, e pelos pensamentos que a ela se referem.

Na verdade, não é muito difícil compreender o que é uma emoção, uma paixão ou um amor, porque suas naturezas são idênticas, é um complexo de estados penosos ou agradáveis associados às representações de certos acontecimentos internos e externos. Neste resultado, pois, como nos sentimentos de prazer e de dor é que vamos encontrar as emoções importantes e até mesmo primordiais, para sabermos lidar com nossas emoções.

A emoção não é senão o contragolpe na consciência de todo sentimento interno; é a reação necessária dos nossos amores e paixões em face das circunstâncias, dos acontecimentos internos e externos que influem sobre nós.

Então, estes fenômenos chamados emoções, paixões e amor, só se concluem com sentimentos afetivos, uma espécie de aceleração entre os estados de sentimentos, com todas as forças próprias da alma; cada sentimento ou aceleração se torna para a alma uma emoção diferente. O sentimento é a consciência da elevação ou da diminuição do próprio estado de cada um de nós.
Posso até concluir com um meio simples de classificar os sentimentos; não há outro meio senão partir das emoções. As paixões, elos fortes, porém complicados e desafiador. O amor, elos simples e prazeroso que toca em todos os pontos visíveis do corpo e invisíveis da alma.
Amar pode ser paixão, porém, paixão não pode ser amor, mas os dois se transformam em emoções.

BNN


Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Bernardino Nilton Nascimento   
-Não seja um investigador de defeitos e, sim, um descobridor de virtudes.
E-mail: bn.nascimento@uol.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 04/05/2015
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.