Artigo de Bernardino Nilton Nascimento: Respeite o Livre-Arbítrio e pense positivamente - | Artigos do Clube
 
Respeite o Livre-Arbítrio e pense positivamente  
   

Respeite o Livre-Arbítrio e pense positivamente

Autor Bernardino Nilton Nascimento - bn.nascimento@uol.com.br


Uns dos problemas que afligem a humanidade é a falta de afeto. Crianças, hoje em dia, são tão desprovidas de carinho e criadas ao léu da sorte, cujo futuro é uma interrogação! Adolescentes, dos quais a infância foi bem conduzida, mas, por circunstâncias ignoradas, deixaram-se levar por ilusões, terminando na marginalidade! Pais e mães de famílias a quem faltaram alicerces morais ou a fortaleza de espírito para vencer os obstáculos, deixaram-se levar pelo desânimo, comprometendo a vida de seus filhos e familiares. Vamos procurar os fundamentos: ausência de amor, de exemplos familiares, dos políticos, a falta de justiça e, porque não dizer, até da sociedade e das religiões ambiciosas. A juventude tem um pedaço desses malignos exemplos espelhados em suas mentes.

Em muitos casos, sabemos que a causa está no DNA da idade média, em vidas passadas. Porém, a falta de conhecimentos espirituais concorre para o desequilíbrio entre os seres humanos.

Portanto, como podemos analisar, difícil será exigir dos outros aquilo que eles não estão em condições de oferecer. Geralmente, gostamos de exigir, achamos fácil a execução desta ou daquela opinião imprescindível, enquanto não chega a nossa vez de colocar em prática nossa própria conduta de bons exemplos.

Somos muito exigentes com os outros, porém complacentes conosco. Não devemos esquecer-nos de que o plantio é livre, depende da vontade de cada um de nós, mas, a colheita é obrigatória.

Quem já está de posse de alguns conhecimentos da verdade, tem maiores responsabilidades. O perdão não será encarado como figura de expressão, a vingança é inconcebível!

Quem já foi presenteado pela filosofia do Espiritismo, se, mais do que isto, ele penetrou em sua alma, a sua posição diante de tal acontecimento é bem superior. Temos que oferecer os exemplos para todos da nossa transformação moral e o desejo de ver próximo feliz!

Se, por ventura, não sente da parte dos que lhe cercam alguma indiferença ou mesmo desprezo, apele para o seu alto entendimento, no sentido de dirigir-lhes, mentalmente, vibrações de afeto, só assim, pouco a pouco eles irão recebendo suas vibrações de amor, de compreensão, e muito em breve, poderá notar os primeiros resultados. Creia na força do sentimento elevado do amor. Agora, se alimentando de pensamentos de revolta, raiva, vingança e ódio a situação será cada vez mais conturbada. 

Não devemos esquecer em nossas mentes os sentimentos de compaixão, de perdão e do desejo de ver a felicidade do próximo. Nossas atitudes, nossos pensamentos deve e pode mudar qualquer situação.

Devemos procurar nos harmonizarmos, espiritualmente, com todos, procurando envolvê-los, em nossas preces, na certeza de que a vida continua e as dissenções terão de terminar um dia.

Tenhamos confiança e bom ânimo. Conte com vitória final, sem se preocupar com o tempo. A perseverança é a amiga incondicional, sempre pronta a levar o êxito aos que nela sabe confiar. Os nossos anseios de ideais nobres chegarão ao fim unidos, uma vez saibamos querer e firmemente esperar.

Temos que ter em mente somente os pensamentos positivos, porque, os pensamentos negativos, prende nossas mentes, encurrala nosso coração e faz à alma chorar.

Porém, tudo está em nossas mãos graças ao livre arbítrio, mais o que significa está liberdade de pensamentos, atitudes e ações que nos deixam alegres? É a capacidade que todo ser humano possui, e que responsabiliza por suas ações. Os seres excepcionais, estão temporariamente, dele reservados.

A proporção que se adquire o progresso, mais e melhor uso se faz dessa extraordinária liberdade divina.

A felicidade que sentimos em saber fazer uso do nosso livre arbítrio, nos encoraja a incentivar aos demais também fazerem bom uso desse direito. Há porém pessoas cheias de orgulho e egoísmo, que subjugam os dependentes, escravizando-os aos seus caprichos, tirando-lhes as aspirações! São dominados porque o livre arbítrio se encontra como semente incubada, quando, pelo decorrer do tempo, chegar à plenitude, saberá se auto governar-se.

Temos que ser todos solidários a liberdade de cada um, porque, ela, liga-se à liberdade de todos.

A nova pedagogia ensina a respeitar os diretos da criança. Quero também dizer dos adolescentes, juventude e os mais idosos, que são os que sempre estão sofrendo as interferências das escolhas dos que dizem ser seu dono, porém, esse poder não passa de excesso de cuidado não para engrandecer a pessoa querida, mas para tentar moldar ao seu perfil como se fosse ele o mais certo do mundo.

É bem verdade que, por vezes, todos nós temos momentos de indecisão. A meditação, o autoexame faz com que finalize o caminho a seguir. Se, porém, algum pensamento aparecer e infiltrar em nossa mente, fazendo sobressair nossos os pontos negativos, junto a eles vem as insinuações de medo, é possível que ele vença, se a nossa convicção não for bem acentuada, se nossa fé não estiver em forte alicerce, denomina-se, vulgarmente a isto, falta de equilíbrio.

Cada um de nós, devemos saber o que de real queremos, e só a satisfação dos nossos anseios nos trará alegria, sucesso, felicidade e naturalmente o amor, ou infelicidade, insucesso e tristeza. Está em jogo o livre arbítrio, isto é, a escolha, a decisão, o descuido com o medo. Vencerá o mais equilibrado, o mais livre que será o que estará mais perto de Deus. Se fracassarmos em nossas escolhas, vence o medo porque é o alimento dos desequilibrados, dos quem não têm fé.

Não acusemos, nunca, a ninguém dos nossos deslizes, das nossas quedas, visto que o ser humano é o artífice de sua própria vida. Seja a vontade forte de acertar, de aprender, amar e ser feliz. Por isso, não deixa ao sabor dos outros, as decisões. Seja livre e justo, para não se tornar apático.

Sempre assuma as suas responsabilidades que te pertence, o livre arbítrio assume posição, pois ele é quem preside nossos destinos!

BNN



Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Total de 66 votos

Autor: Bernardino Nilton Nascimento   
-"Não seja um investigador de defeitos e, sim, um descobridor de virtudes"! BNN - "Quando a ansiedade assume a frente, as soluções vão para o final da fila"! BNN
E-mail: bn.nascimento@uol.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 13/04/2015
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.