Artigo de Andre Lima: Você se sente uma Farsa? - | Artigos do Clube
 
Você se sente uma Farsa?  
   

Você se sente uma Farsa?

Autor Andre Lima - andre@eftbr.com.br


Já tive vários alunos que relataram se sentirem uma farsa. São pessoas vistas pelas outras como independentes, bem-sucedidas, inteligentes, mas elas não se sentem assim. Muitas relatam sentir medo de, em algum momento, as pessoas descobrirem "quem elas realmente são".

A origem da síndrome do "eu me sinto uma farsa" está na autoestima e causa diversos problemas em várias áreas. Essas pessoas podem desenvolver relacionamentos apenas superficiais pois ficam com medo de aprofundar a intimidade e de "serem descobertas". E isso pode acontecer tanto em relacionamentos com amigos como também em relacionamentos amorosos. A pessoa se sente mais segura mantendo uma certa distância e pode acabar sabotando seus relacionamentos sem perceber.

Esse tipo de síndrome normalmente tem origem na infância. Pra desenvolver a sua autoestima, a criança precisa muito de reconhecimento, elogio e atenção. Ela aprende a se amar e reconhecer o seu valor a partir do reconhecimento e valor que ela recebe dos pais. Quando recebe esse alimento emocional de forma adequada e suficiente, cresce e se torna um adulto seguro e confiante em si mesmo.

Mas, o que aconteceu com muitos durante a infância, foi a ausência ou escassez desses estímulos positivos e abundância de críticas e cobranças. Quando a criança age corretamente, não ganha nada. Se é estudiosa, organizada, comportada, não faz mais do que a sua obrigação. Mas, caso faça algo que os pais julgam ser errado, logo são criticadas e repreendidas. E, assim, a criança não ganha dos adultos o alimento emocional que ela tanto precisa pra amadurecer e desenvolver o seu amor próprio. E esses pais agem dessa forma porque provavelmente foi assim que também foram tratados na infância.

O que começa a acontecer na cabeça da criança que é tratada dessa maneira, é que ela passa a pensar que deve ter algo de errado com ela e que ela não tem valor. Por que o que ela tem ou faz bom nunca (ou raramente) é reconhecido e nunca é o suficiente pra deixar seus pais felizes. Inconscientemente, a criança pensa que ela é culpada por isso.

A indiferença dos pais também leva a criança a desenvolver uma autoestima fraca. Por isso, mesmo que os pais não tenham sido críticos e cobradores, o simples fato de não terem elogiado e reconhecido de forma adequada e suficiente, já leva a criança a interpretar que deve ter algo de errado com ela.

Por isso, é estranho pra essa criança, quando ela se torna uma pessoa adulta, receber elogios e reconhecimento de outras pessoas. O que acontece automaticamente no seu inconsciente é o seguinte pensamento: "Essa pessoa está enganada a meu respeito, se ela realmente me conhecesse, veria que eu não sou nada disso. Não passo de uma pessoa sem valor nenhum". Também é possível que venha a surgir o seguinte pensamento: "Essa pessoa só deve estar falando isso a meu respeito pra ser educada comigo, mas eu não sou nada disso, ou então está com algum interesse oculto".

A pessoa cria uma distorção de forma tal, que não permite que lhe chegue nada de positivo, pois simplesmente não consegue acreditar. Dentro da sua mente estão enraizados pensamentos e sentimentos de desvalorização e isso bloqueia o recebimento de reconhecimento e elogio. Entretanto, se chegam críticas e cobrança, isso elas não conseguem bloquear, e as afeta de uma forma profunda.

A forma definitiva de curar isso é através da limpeza profunda dos sentimentos que ficaram marcados no passado de rejeição, críticas, abandono e indiferença. Dessa forma, o amor próprio brota naturalmente e toda a ilusão de que você é uma farsa desaparece. E é possível conseguir isso aplicando a *EFT (técnica para autolimpeza emocional, baixe o manual gratuito aqui). Ela tem um grande poder de dissolver a carga emocional que afeta a nossa autoestima e isso traz um alívio muito grande. Foi o que aconteceu com uma aluna que me mandou essa mensagem:

"Olá André!! Ouvindo essa sessão, me identifiquei muito com a Priscila. Assim como me identifiquei com outras sessões, mas essa foi muito forte, pois quando você pediu que ela repetisse “eu sou uma farsa”, cai num choro quase que sem controle… Conforme você foi aplicando a EFT pra farsa, chorei muito. Pois assim como ela,eu também sou “taxada” como a inteligente, a competente,a independente… Mas no fundo, não me sinto tudo isso. Faço as coisas como se fosse pra que as pessoas não se decepcionassem comigo. Tento mostrar aquilo que no fundo eu não me sinto. Muito grata por disponibilizar esse material, pois essa crença da farsa não era visível no meu campo emocional. Agora me sinto mais leve… Obrigada!"

Se você quiser entender mais a respeito da sua autoestima, eu criei um teste revelador. Cada pergunta trará pra você uma reflexão e vai mostrar vários pontos em que você pode melhorar: Teste e Descubra Como Está a Sua Autoestima

*EFT - Emotional Freedom Techniques - Técnica que ensina a desbloquear a energia estagnada nos meridianos, de forma fácil, rápida e extremamente eficaz, proporcionando a cura para questões físicas e emocionais. Você mesmo pode se autoaplicar o método. Para receber manual gratuito da técnica e já começar a se beneficiar, acesse este link

Texto revisado




Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Andre Lima   
André Lima é engenheiro e trabalha exclusivamente com autoconhecimento desde 2006. Vem divulgando e esinando em palestras e cursos presenciais e online sobre a EFT - Emotional Freedom Techniques, uma técnica revolucionária, simples e eficaz, para limpeza e cura de todos os tipos de emoções, pensamentos e crenças limitantes.
E-mail: andre@eftbr.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 26/01/2015
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.