Artigo de Flávio Bastos: Olhares reveladores... - | Artigos do Clube
 

Olhares reveladores...

Autor Flávio Bastos - flavio01bastos@gmail.com


O olhar é a janela da alma por onde passa a energia que reflete o estado interior do indivíduo. São tantos os olhares, desde os menos aos mais expressivos. Todos, porém, expressam algo revelador de uma "radiografia" interna que normalmente desconhecemos.

O olhar lânguido(ou furtivo), encontramos nas pessoas que investem na sua sensualidade como forma de atração do sexo oposto ou do mesmo sexo. Entre estas pessoas que se atraem, os relacionamentos costumam começar com um primeiro e significativo olhar, o olhar da atração sexual.

O olhar perdido encontramos entre as pessoas que experimentam um desgosto pela vida.
Nos indivíduos depressivos, nos meninos e meninas de rua e nos mendigos, assim como em certos intelectuais e idealistas das chamadas "causas perdidas".

O olhar misterioso é aquele que suscita em nós algo desconhecido ou transcendente, e que foge ao trivial das comunicações de nível apenas sensorial. Os gurus ou mestres das mais variadas origens religiosas costumam, ao olhar, transmitir esta energia especial.

O olhar empedernido é o olhar duro de uma personalidade de comportamento rígido consigo e com os outros. Comumente encontrado em pessoas que exercem cargos de chefia, principalmente nas áreas empresarial e militar.

O olhar observador é aquele que analisa, avalia e tira as suas próprias conclusões sobre o foco da sua observação. Encontrado em intelectuais, cientistas e terapeutas, principalmente.

O olhar preconceituoso é o olhar que tem um fundo revelador de discriminação. É aquele que analisa a pessoa "de cima para baixo" como se estivesse verificando, pela aparência, a condição social da mesma. Encontrado nas pessoas que costumam dar alto valor às aparências, principalmente nos vaidosos e orgulhosos.

O olhar firme é revelador de firmeza de caráter, de firmeza interior, e distingue-se do olhar duro (empedernido) pela não manifestação do radicalismo neurótico no "uso" inconsciente do "ser firme". É mais comum no homem e mais observável pela mulher.

O olhar maroto é aquele olhar característico de "segundas intenções". Normalmente vêm associado à atração sexual por uma pessoa, ou aos jogos da sensualidade como o flerte e a conquista. Está mais relacionado à adolescência, enquanto o olhar lânguido relaciona-se mais à fase adulta do indivíduo.

O olhar apaixonado é o olhar revelador do "brilho nos olhos" da paixão. É uma característica pessoal e inerente à natureza humana. Pode manifestar-se em curtos ou longos períodos e com alternâncias de intensidade, como pode também jamais manifestar-se.

O olhar inteligente transmite conhecimento e sabedoria. Em parte confunde-se com o olhar misterioso, mas, fundamentalmente, distingue-se daquele pelo fator não-religioso enquanto dogma. É o olhar da pessoa moderna, lúcida e voltada às coisas da alma e das ciências de um modo geral.

O olhar superior é encontrado naquelas pessoas que possuem um sentimento de superioridade perante às demais. Em parte, aproxima-se da pessoa de olhar preconceituoso, mas distingue-se desta, pelo aspecto do fator orgulho elevado ao extremo. É a pessoa popularmente conhecida como "se possuísse o rei na barriga".

O olhar confiante, por si só, transmite aquilo que é externamente captado: confiança. Revela transparência interior e, normalmente, é encontrado em pessoas idealistas e em líderes comprometidos com as causas sociais.

O olhar profundo é aquele olhar encontrado nos grandes mestres da espiritualidade e das ciências. Se observarmos o olhar de Einstein, de Mahatma Gandhi ou de Francisco Xavier, imaginaremos como seriam, entre outros, os olhares de Jesus Cristo e de Buda. São marcas registradas de almas evoluídas que chegaram a um nível em que seus olhares estão na razão direta da sintonia de seus espíritos.

Os olhares, portanto, longe de serem algo que nada representam, são reveladores da nossa personalidade e do nosso caráter, ou seja, da nossa intimidade. São marcas registradas que subjetivamente nos informam como encaramos a vida e os nossos relacionamentos. E o que é mais importante: nos mostram o que precisamos modificar para melhorarmos com relação ao que somos.


Psicanalista Clínico e Psicoterapeuta Reencarnacionista.
www.flaviobastos.com



Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: flavio01bastos@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 08/04/2006
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.