Artigo de Flávio Bastos: Não subestime o seu potencial! - | Artigos do Clube
 
Não subestime o seu potencial!  
   

Não subestime o seu potencial!

Autor Flávio Bastos - flavio01bastos@gmail.com


O pensamento é a energia que nos identifica diante do universo. É a marca individual que rebaixa ou eleva o padrão vibratório. E a aura, que é o campo energético que nos envolve, é o resultado de nossos pensamentos, emoções e ações praticadas durante o processo vital, ou seja, somos a obra-prima de nós mesmos.

Elevamos o nosso pensamento e alteramos positivamente a nossa frequência vibratória, quando praticamos a caridade, que não se resume em dar esmolas mas em praticar o bem no cotidiano da vida. Rebaixamos o nosso pensamento e alteramos negativamente a nossa frequência vibratória, quando praticamos a maldade ou o ódio contra semelhantes.

Neste sentido, registra o filósofo Huberto Rohden: "O mal que os outros nos fazem não nos faz mal porque não nos torna maus; o mal que fazemos aos outros é o que nos faz mal porque nos torna maus". E reciprocamente: "O bem que fazemos aos outros é que nos faz bem, porque nos torna bons".

Um antigo conto, extraído da obra "Pai Nosso" de Chico Xavier, retrata o efeito do ódio e da cólera, que por falta de paciência e amor em nossos corações, geram amargura, perturbação e enfermidade: "Um velho judeu de alma torturada por pesados remorsos, chegou, certo dia, aos pés de Jesus, e confessou-lhe estranhos pecados. Valendo-se da autoridade que detinha no passado, havia despojado vários amigos de sua terra e bens, arremessando-os à ruína total e reduzindo-lhes as famílias a doloroso cativeiro. Com maldade premeditada, semeara em muitos corações o desespero, a aflição e a morte. Achava-se, desse modo, enfermo, aflito e perturbado. Médicos não lhe solucionavam os problemas, cujas raízes se perdiam nos profundos labirintos da consciência dilacerada.

O mestre, porém, ali mesmo, na presença de Simão Pedro onde se encontrava, orou pelo doente e, em seguida, lhe disse: "Vá em paz e não peques mais". O ancião notou que uma onda de vida nova lhe penetrava o corpo, sentiu-se curado, e saiu, rendendo graças a Deus. Parecia plenamente feliz, quando, ao atravessar a extensa fila dos sofredores que esperavam pelo Cristo, um pobre mendigo, sem querer, pisou-lhe num dos calos que trazia nos pés.

O enfermo restaurado soltou um grito terrível e atacou o mendigo a bengaladas. Estabeleceu-se o tumulto. Jesus veio à rua apaziguar os ânimos. Contemplando a vítima em sangue, abeirou-se do agressor e falou: "Depois de receberes o perdão, em nome de Deus, para tantas faltas, não pudeste desculpar a ligeira precipitação de um companheiro mais desventurado do que tu".

O velho judeu, agora muito pálido, pôs as mãos sobre o peito e bradou para o Cristo; "Mestre, socorre-me! Sinto-me desfalecer de novo... Que será isso?" Mas Jesus apenas respondeu, muito triste: "Isso, meu irmão, é o ódio e a cólera que outra vez chamaste ao próprio coração".

Em seu livro "Quântica - Espiritualidade e Sucesso", o professor e cientista Moacir Lima, registra com muita lucidez: "Quando estamos vibrando através de nosso pensamentos e emoções, a mente recebe sinais e informações do cosmos. Não se pode afastar aqui a hipótese de que essas informações, via sintonia de frequências, venham de outras mentes de pessoas desencarnadas ou não".

E completa o seu raciocínio quântico: "Estamos cercados de inteligências. Chamemos campos energéticos, espíritos, ou a denominação que melhor nos aprouver, esses campos comunicam-se conosco via lei das atrações: o semelhante atrai semelhante. Os afins se atraem. Dessa forma, habituamo-nos a determinadas conexões e temos a tendência de mantê-las. E é por pensamentos e emoções que nos ligamos a um tipo ou outro de energias, que sempre virão ao encontro de nossos objetivos e do campo vibratório que produzimos em torno de nós".

Na verdade, os graus de percepção e evolução nos fazem diferentes. Os "mais vividos", por mais experimentados, na medida em que aproveitam as oportunidades da vida, aceitando seus convites para o progresso, vão desenvolvendo maior e mais amplo e abstrato entendimento das razões pelas quais aqui estamos. E o progresso de pensar não dispensa a necessidade de crer, a magia da fé, que cada um alcança segundo seu potencial evolutivo, e de modo especial aqueles que aceitam a reencarnação sabem perfeitamente o seu significado no contexto da existência.

Portanto, no vasto universo em que vivemos, não estamos sós. Estamos continuamente emitindo e recebendo energias, pensamentos, emoções. Se quisermos classificar as emissoras do universo como boas ou más, devemos entender que captaremos exatamente aquelas em cujas frequências vibrarmos. Por isso, buscar energias cósmicas e, com elas, a realização, depende de atitude positiva diante da vida.



Texto revisado


Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: flavio01bastos@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 23/01/2012
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.