Esqueci a senha
 

 
CONCEITO DE METAFÍSICA I
Bookmark and Share

CONCEITO DE METAFÍSICA I

por Helena Gerenstadt - gerenstadt@terra.com.br

De acordo com o dicionário Aurélio, a Metafísica é uma parte da Filosofia. É um corpo de conhecimentos racionais em que se procura determinar as regras fundamentais do pensamento em relação ao ser, e que nos dá a chave do conhecimento do real, tal como este verdadeiramente é (em oposição à aparência ou ilusão).

A Metafísica remonta a antiguidade.Temos conhecimento que ela começou a surgir com Aristóteles, filósofo grego, que já estudava a relação do ser com o Universo. Esses conhecimentos foram profundamente estudados na China, no Tibete, na Índia, no antigo Egito. O budismo, por exemplo, é uma forma de metafísica, com suas técnicas de aprofundamento no psiquismo humano. Descobrindo assim o relacionamento entre a mente e o corpo. O Espiritismo também, nos mostrando a influência do plano espiritual no plano físico. E assim por diante.

Hoje em dia temos a medicina psicossomática que se encontra engatinhando em relação a esses conhecimentos, mas muito do que a Metafísica divulgou, essa medicina tem comprovado na prática diária.

O termo significa além do físico ou da matéria.

CONCEITO ESSENCIAL DA METAFÍSICA

A grande maioria das pessoas atribui à sorte, ao azar, ao acaso ou a um poder superior a causa e o comando de tudo que lhes acontece na vida. Com isso, jamais procuram verificar a verdade sobre os fatos. Elas preferem optar por uma atitude conformista ou comodista, alimentando uma postura interna de vítimas que as faz sentirem-se coitadas.

Ficam hipnotizadas pela idéia de impotência diante de certos acontecimentos que consideram difíceis e sobre os quais não querem ter nenhum controle ou responsabilidade.

É comum, nas situações dolorosas que afetam a elas mesmas ou os outros, as pessoas se acovardarem, em vez de resistirem com coragem e determinação. Quando não compreendem a causa de certos acontecimentos catastróficos, alguns justificam seu comodismo com frases como: "Deus ou o destino quis assim" ou "Não aconteceu porque não era para ser". Outros preferem se revoltar a procurar desvendar a verdadeira realidade dos fatos.

«Reagir com comodismo ou revolta é preservar uma atitude de vítima».

O "vitimismo" é sem dúvida o maior empecilho ao progresso da humanidade.

Aquele que se julga vítima acredita que está no mundo para sofrer.

Alimentar pensamentos negativos não lhe permitirá usar seu poder de trans-formar os acontecimentos desagradáveis e edificar uma vida melhor.

De modo geral, o ser humano crê na fatalidade, no acaso e na negligência. Quando "acidentes" acontecem, as pessoas imediatamente definem as ocorrências, sem dar a chance de perceber se há outra forma de encarar os fatos.

Explicar algo classificado como fatalidade não é uma tarefa fácil. Compreender o que está por trás de um acontecimento ruim exige certa predisposição a acatar o novo e abandonar os conceitos impregnados na humanidade.

Um acidente parece sempre algo inexplicável, e o acaso um mistério agindo aleatoriamente. Pensar desse modo é o mesmo que considerar que o nada pode fazer tudo, como realizar feitos extraordinários, provocar acidentes, promover sua demissão do emprego, fundir o motor de seu carro, causar uma infestação de cupins em sua casa e uma série de outros males que o rodeiam. Olhar a vida por essa óptica é acreditar que somos vítimas dos mecanismos naturais.

A idéia de sermos vítimas das fatalidades não é a melhor concepção de vida.

É inaceitável crer que um ser superior governe tudo como um déspota ou mesmo que
é o acaso que provoca todos os contratempos na vida das pessoas. Assim também não se pode acreditar que a natureza é caótica a ponto de cometer alguns lapsos em seus intrincados mecanismos de funcionamento.

A natureza é sábia, portanto, para toda ação há sempre uma causa, mesmo quando a nossa inteligência não consegue alcançar o conhecimento dos processos da vida.

Quem segue sua intuição e busca outra visão dos acontecimentos, rompendo com a concepção do acaso e da injustiça, acaba encontrando as respostas para as ocorrências desagradáveis.
«O vitimismo é uma forma infantil de lidar com os fatos».

Qual a explicação plausível para o que acontece de bom ou prejudicial em nossa vida?
A resposta é:

«Voce é a causa de tudo! É o centro de sua vida e senhor de seu próprio destino.»




Texto revisado




por Helena Gerenstadt   
Terapeuta Holística, atuando com a Numerologia Pitagórica e a Árvore da Vida, Tarot Egípcio, Reiki, Radiestesia e Radionica, e outras ferramentas. Ministrante de vários cursos - vide site www.agarta.com.br
Lido 6091 vezes, 21 votos positivos e 3 votos negativos.   
E-mail: gerenstadt@terra.com.br
Visite o Site do autor
Gostou deste Artigo?
Sim Não    
Imprimir
este Artigo
Enviar para
um amigo
Outros Artigos
deste autor


© Copyright 2000-2014 SOMOS TODOS UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
PRINCIPAL ARTIGOS
LOGAR PRODUTOS
ASSINAR SERVIÇOS
PARTICIPANTES EVENTOS