Aprender a dizer NÃO - Nelson Sganzerla | Artigos do Clube
 
 
   

Aprender a dizer NÃO

Autor Nelson Sganzerla - nelsonsganzerla@terra.com.br


Dizendo NÃO!

Será que nossa vida poderia ser melhor? Pois eu digo que sim; afinal de contas, para tudo aquilo que não quiséssemos diríamos, com todas as letras, NÃO! e nunca TALVEZ!

Todos temos uma grande dificuldade com a palavra NÃO e acabamos disfarçando sentimentos, maquiando atitudes que muitas vezes, sem querer, dão uma falsa impressão das coisas resolvidas ou falsa impressão daquilo que realmente sentimos. Quantas e quantas vezes a gente se pega em uma saia justa em determinadas situações, quando acabamos por aceitar algo que vem de encontro aos nossos valores éticos e morais por não sabermos dizer um NÃO!

Quantas pessoas aproveitam-se da nossa dificuldade em dizer NÃO e abusam dessa nossa fraqueza com chantagem emocional, causando-nos uma profunda culpa na alma se dissermos NÃO!

Se analisarmos o sentido da palavra NÃO com senso comum, realmente, essa palavra tem algo de negativo, algo que desagrega, algo autoritário, um sentido de abandono.
Basta notar a força dessa palavra para uma criança que ouve o ‘NÃO!’ da mãe quando está pronta para fazer alguma arte. Ao mesmo tempo, o coração partido de uma mãe quando tem que dizer esse NÃO! para um filho. Para essa criança é um NÃO de severidade, um NÃO austero, um NÃO que, se depender da quantidade que ouve durante a infância, acarreta sérios problemas psicológicos na adolescência.

Mas se aprendêssemos a dizer NÃO ajudaríamos muitas pessoas a encontrarem seu caminho. Quantos de nós alimentamos a vida errada de nossos amigos queridos? Que muitas vezes pela falta de coragem de enfrentarem determinadas situações, pedem a nossa guarida, a nossa proteção (não quero dizer que não devemos fazê-lo). Mas ao fazermos isso estamos impedindo essa pessoa de crescer; sabemos disso, mas nunca dizemos NÃO! Continuamos a alimentar os mesmos erros da pessoa, a passar a mão em sua cabeça, a colocar panos quentes.

Quantos pais acolhem seus filhos de volta, após uma separação? Chegando a ponto de tratá-los novamente como crianças, alimentando as frustrações que não conseguem lidar como indivíduos e que, lá no final da vida, serão homens velhos e despreparados para cuidarem de si, eternamente dependentes dos pais. Quando se diz NÃO em situações assim, não estamos renegando o filho ou a filha; estamos, sim, dando-lhes força para que superem, para que retomem o comando de suas vidas.

Quantas esposas, por sentirem alguma culpa - que não existe - por acharem que o casamento é um anular-se como pessoa, alimentam as frustrações de seus maridos que as agridem, achando que têm a obrigação de agüentá-los de mau humor, reclamando de tudo e de todos, sentado no sofá. Quando se diz NÃO nessa situação, dá-se um basta para a infantilidade do companheiro; estamos dizendo CRESÇA como pessoa e como homem e não seja um menino, respeite-me como pessoa e como mulher.

Quantas pessoas carregam nas costas o peso de pessoas totalmente dependentes financeiramente? Dando-lhes o alimento na boca, feito uma ave alimentando seus filhotes ávidos por comida, pelo fato de não saberem dizer NÃO!

Quantos de nós alimentamos todo tipo de desinteresse de pessoas que se aproveitando da nossa boa vontade, usam e abusam das nossas boas intenções e nos fazem sofrer e além de tudo acham que somos os errados.

Aprenda a dizer NÃO! Só assim você fará com que as pessoas cresçam realmente à sua volta, fará com que as pessoas não tenham medo de enfrentar a vida de frente, aprendendo a andar sozinhas.

Somos indivíduos e como indivíduos precisamos crescer, andar com nossas próprias pernas, sem usar muletas e sem esconder-se atrás de pai, mãe, irmão, irmã, marido ou esposa. E o mais importante: vamos aprender a dizer NÃO A nós mesmos; vocês verão que é a melhor maneira de crescermos na vida.

Muita Paz.


Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Nelson Sganzerla   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   

Publicado em 30/12/2005
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM


© Copyright 2000-2016 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.