A responsabilidade de cada um na Jornada Terrestre  
   

A responsabilidade de cada um na Jornada Terrestre

Autor Mônica Lampe - monicalampe@hotmail.com


Quando saímos da ilusão da  separatividade, sabemos e sentimos que não existe o eu e o outro e que o outro é o eu mesmo e somos todos um. Todo o mais é ilusão, criação da mente, e a mente... mente.

Nesta Jornada de aprendizados terrestres, é natural querermos compartilhar o que aprendemos ou acessamos, mas precisamos ter cuidado para não transformar a partilha em indução. Induzir o pensamento é uma pretensão e manipulação, e para mim é muito perigoso querer induzir ou formar opiniões, é uma interferência no livre-arbitrio, dom máximo que o Criador legou a sua Amada Criatura. Já, compartilhar a experiência pessoal, as próprias dúvidas, angústias e anseios, conquistas e mergulhos na escuridão... isso, sim, pode despertar no outro algo que tenha que ser despertado, se o outro estiver aberto para isso. É pelo que somos e fazemos que convidamos o outro a ser se ele quiser ser.
Como exemplo, certa vez, lendo a narrativa de uma iniciação de um irmão de Jornada, mesmo que seu processo iniciático tenha ocorrido num outro tempo e, apesar da distância, eu fui novamente iniciada, suas experiências tocaram as minhas células, abriram meu cardíaco e eu saí do espaço-tempo, acessei um outro espaço dimensional e entrei em contato com memórias, emoções e sensações. Isso comprova o princípio da não localidade e que quando se está aberto, o Mestre, ou situações de despertar aparecem.

Numa outra oportunidade, uma irmã de jornada relatou sua experiência no momento da Eucaristia, eu senti naquele instante todas as minhas células vibrarem, fui tomada por um sentimento genuíno de amor incondicional, alegria e nutrição… Me senti preenchida… Fui novamente iniciada pois compartilhei da experiência desta querida irmã.

Nesta Jornada iniciática, precisamos ter muita coragem de nos abrirmos para receber mais de nós mesmos, e mais coragem ainda para acolher nossas sombras quando elas aparecem. Não existe luz sem sombras, somos seres de luz passando por uma experiência terrestre, mas somos também um ego, uma personalidade, somos também seres relativos que por instantes somos habitados pelo Absoluto. Carregamos conosco todas as memórias genéticas, morfogenéticas e do inconsciente coletivo e de seus sistemas de crenças… Somos um holos, nossas energias se espiralam em todas as direções e se expandem para cima, para baixo, à direita, à esquerda, para frente, para trás, nas diagonais... Permeamos e somos permeados neste oceano da existência.

Não nos será possível andar olhando só para frente por muito mais tempo… Agora é o tempo de despertar para essa dimensão holística, que nos abre a visão, amplia-nos a perspectiva sobre nós mesmos, sobre quem somos, como funcionamos no mundo para que percebamos quais são as crenças que nos impedem de manifestarmos cada vez mais luz no aqui e agora.

Este é o momento de ampliar o olhar e perceber que o que fazemos aqui interfere na dinâmica do Cosmos, que, como humanos, somos células vivas de um grande organismo vivo e pulsante chamado Planeta Terra e a Terra por sua vez é uma célula pulsante de outro organismo vivo chamado Universo, que inclui outros planetas, estrelas, galáxia, nebulosas e buracos negros geradores ou não de luz… É ilusão da mente acharmos que estamos separados de tudo isso, que nossos pensamentos, emoções e ações não têm consequências além das que percebemos de imediato. Estamos todos conectados no circuito universal da existência… Somos compostos dos mesmos átomos e moléculas com intensidades diferentes de vibração o que delineia as particularidades da Jornada de cada um, mas a Essência é a mesma.

É o momento de percebermos que questões mal resolvidas de nossos egos e experiências da infância provocam todas as moléstias humanas e desastres naturais.
Nossas palavras, sentimentos e emoções criam realidades e não podemos mais responsabilizar os outros por nossas escolhas e ações.

Por isso, a cada passo é importante pedirmos por guiança, por um sinal do Invisível, do Eterno, do Inefável, Daquele que Tudo Habita. Pedirmos para que tenhamos inteligência, lucidez, sabedoria e amor, para que sejamos cada dia melhores para nós mesmos e para o planeta como um todo… Assim, com certeza, estaremos contribuindo para a harmonia Cósmica e cumprindo a missão que temos de evoluirmos como uma Fraternidade Humana Planetária.

É momento de olharmos para dentro e reavaliarmos, refletirmos sobre que remédio somos no mundo, ou que remédio queremos ser. Se ainda houver limitações é importante procurar ajuda, neste momento muitos já despertaram para este novo paradigma quântico, profissionais competentes de terapia holística não faltam, Seres despertos e disponíveis para ajudar… Há que se ter humildade para solicitar ajuda…
Essa é a nossa responsabilidade na Jornada Terrestre: Cuidar de nós mesmos... Lembrando que quando nos cuidamos, cuidamos da Terra... o Todo se beneficia pois Somos Todos Um.

In Lak´ Ech!
Eu sou o outro você!



Texto revisado



Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Total de 88 votos

Autor: Mônica Lampe   
HeartMath® Certified Coach/Mentor, Pós Graduada em Psicologia Transpessoal, formada em Dinâmica Energética do Psiquismo, Cura Multidimensional Arcturiana, Terapia Floral, Frequências de Brilho e Professora de Maná.
E-mail: monicalampe@hotmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 29/05/2011
O Autor deste artigo indica
http://www.stum.com.br/tc26376

 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.