Esqueci a senha
 

 
Cuidado com as suas emoções!
Bookmark and Share

Cuidado com as suas emoções!

por Flávio Bastos - flaviolgb@terra.com.br

A emoção é a forma como o organismo reage a um acontecimento que é acompanhado por um estado afetivo penoso ou agradável.

As nossas emoções são a exteriorização daquilo que interiorizamos, chamado sentimentos. Por isso, o indivíduo considerado emotivo é aquele que se emociona - ou se sensibiliza - com facilidade. No entanto, o problema da emoção é o desequilíbrio, ou seja, quando reagimos de uma forma inesperada diante de um fato que para nós não é novo, ou quando reagimos incisivamente - ou até mesmo de forma agressiva - diante de fatos novos aos quais supervalorizamos a sua importância.

O estresse, por exemplo, assim como a depressão e a cólera, são experiências repletas de emoções onde o desequilíbrio emocional manifesta-se em nosso comportamento, revelando o nosso estado afetivo.

O desequilíbrio emocional encontra-se presente em algumas psicopatologias, como a bipolaridade e as psicoses de uma forma quase que geral. No entanto, a desarmonia das emoções não apresenta somente o "déficit químico-cerebral" - ou orgânico -  como a causa do problema em si, passível, exclusivamente, de tratamento medicamentoso. As obsessões de origem espiritual, assim como a auto-obsessão ou fixação ao passado, através de sentimentos ou pensamentos, podem ser também, as origens de tais desequilíbrios de ordem emocional, requerendo, dessa forma, tratamento espiritual e floral como complemento ao tratamento à base de remédios.

O problema que se observa em relação ao tratamento espiritual em centro espírita, por exemplo, é a falta de persistência (paciência) e fé (crença) por parte de um considerável número de pessoas que são encaminhadas ou que procuram essas casas religiosas. A indisciplina, baseada na repetição de vícios ou de atos cotidianos responsáveis em boa parte pelo desequilíbrio emocional, é um fato constatado entre as pessoas que encontram-se em tratamento de desobsessão espiritual. 

No nível das emoções em desequilíbrio, o tratamento floral, quando bem administrado por terapeuta qualificado, tem o objetivo de trabalhar sutilmente as obsessões pela via do sentimento e pensamento fixos em experiências do passado - recente e remoto - que provocam dor e sofrimento ao indivíduo.

O ser integral, observado na sua concepção bio-psico-socio-espiritual, é um todo indivizível. E por ser essa a sua natureza, deve ser tratado como um todo para que as "partes" que o formam, beneficiem o conjunto.

Muitos desequilíbrios vitais que se transformam em psicopatologias estruturais na fase adulta se originam de desarmonias emocionais. Desequilíbrios que começam a manifestar-se na infância do indivíduo, sendo que em muitos casos, o comportamento alterado do filho passa despercebido pelos pais ou substitutos. Nesse sentido, a criança muito ansiosa, que fala demais, que é inquieta, agitada ou agressiva; assim como a criança que manifesta traço depressivo, que quase não se comunica e apresenta a tendência ao isolamento social, são casos passíveis de avaliação psicoterapêutica.

Os desequilíbrios psico-espirituais de manifestação emocional na fase adulta, podem e devem ser tratados na infância ou adolescência, quando começam a emitir os seus primeiros sinais em forma de comportamento alterado. A prevenção - e a intervenção - terapêutica nos primeiros sinais de desarmonia emocional, pode evitar que o indivíduo passe por uma experiência sofrida na fase adulta, quando o desequilíbrio encontra-se instalado no seu mecanismo psíquico-espiritual.

Aprender a administrar nossas emoções é a chave para um bom desempenho em todos os aspectos de nossa vida. Uma pessoa desequilibrada e dominada por fortes emoções, dificilmente conseguirá captar mensagens edificantes e proveitosas para a sua vida.

Nem sempre podemos controlar situações ou outras pessoas, mas podemos controlar nossa maneira de reagir a elas. Portanto, essa será sempre a nossa grande e maior conquista: escolher o nosso estado interno e mantê-lo estável constantemente, com um mínimo de esforço possível para eliminarmos o estresse. Para aprendermos a gerenciar as nossas emoções, e não eliminá-las, é preciso conhecer as nossas tendências. Sabermos quem somos, de onde viemos e para onde vamos é a pedra angular do conhecimento de nós mesmos.

Se as crises de fundo emocional forem eventuais e de curta duração, elas são plenamente administráveis por aquele que deseja libertar-se desse incômodo para si e para as pessoas de seu convívio diário. Sendo assim, não custa tentar, uma vez que as emoções em desequilíbrio passam pelo mecanismo bio-psíquico-espiritual do indivíduo. O autocontrole associado à mudança de hábitos e um melhor nível de autoconhecimento, pode representar o começo da transformação desejada. É o que veremos a seguir em forma de sugestões.

  • Não se deixe influenciar por conversas pessimistas ou por pessoas exccessivamente críticas ou observadoras que se consideram as donas da razão ou "juízas" da vida alheia;
  • Procure desenvolver a percepção de momento para ser você mesmo onde estiver:
  • Compreenda a vida - e seus acontecimentos e significados - através da ótica de que na vida nada acontece por acaso e que tudo tem uma razão de acontecer;
  • Espiritualize-se. Escolha uma opção que reúna conhecimento (estudo) e fé raciocinada;
  • Não supervalorize a opinião alheia a respeito de si mesmo. Cultive uma auto-imagem segura e tranquila, sem necessidade de dar satisfações - ou explicações - a quem quer que seja, se não for de seu agrado. O silêncio, muitas vezes, vale mais do que mil palavras faladas;
  • Respeite o semelhante à medida que o recíproco for verdadeiro. Mas antes de tudo, respeite a si mesmo;
  • Alimente-se adequadamente, lembrando sempre que quantidade não representa qualidade nutricional;
  • Pratique atividade física adequada à sua faixa etária e condições físicas. Na dúvida, a caminhada é sempre um bom e relaxante exercício físico-mental quando praticado em local apropriado, como um parque ou avenida arborizada;
  • Não esqueça que a atividade sexual também é um ótimo exercício relaxante e estimulante para a mente e o corpo. E quando associada à energia do amor, também para o espírito;
  • A meditação e a prece espontânea incorporados à filosofia de vida, servem como canais que nos ligam à espiritualidade superior, além de servirem como meio de alteração positiva de nossa frequência vibratória;
  • A prática consciente da simplicidade é a melhor forma de centrar o Eu em direção à sua verdadeira identidade: o espírito. E o exercício da simplicidade é o melhor "antídoto" contra os desequilíbrios psíquico-espirituais.
Ao finalizar, lembremos que a atenção sobre o nosso estado emocional e a manutenção do mesmo em equilíbrio, nos propiciará a oportunidade de um estado espiritual tranquilo e receptivo às novas conquistas e ao aperfeiçoamento de nós mesmos.  


por Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
Lido 16929 vezes, 324 votos positivos e 4 votos negativos.   
E-mail: flaviolgb@terra.com.br
Visite o Site do autor
Gostou deste Artigo?
Sim Não    
Imprimir
este Artigo
Enviar para
um amigo
Outros Artigos
deste autor


© Copyright 2000-2014 SOMOS TODOS UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
PRINCIPAL ARTIGOS
LOGAR PRODUTOS
ASSINAR SERVIÇOS
PARTICIPANTES EVENTOS