Artigo de Psicóloga Ana Cristina Botelho: O Papel e o Lugar do Terapeuta numa Relação de Ajuda: Compartilhando algumas reflexões - | Artigos do Clube
 
O Papel e o Lugar do Terapeuta numa Relação de Ajuda: Compartilhando algumas reflexões  
   

O Papel e o Lugar do Terapeuta numa Relação de Ajuda: Compartilhando algumas reflexões

Autor Psicóloga Ana Cristina Botelho - acristinab@uol.com.br


O papel do terapeuta numa relação de ajuda com o seu cliente; essa é uma questão que, há muito, desde os meus tempos de estudante de Psicologia acompanha a minha caminhada.

Depois, seguindo pela vida, vejo que essa inquietação se amplia um pouco mais para que pudesse pensar não só o papel, mas também o lugar que esse profissional ocupa na vida de um outro que lhe confia a sua intimidade.

E me dou conta de que essa é a questão que instiga a mim e, com certeza, também a muitos colegas, a pensar, amadurecer, rever conceitos, estudar, seguir alguns caminhos para depois, por consequência da nossa própria transformação, perceber que aquela rota já não é a melhor opção, e que podemos seguir por outras estradas, sabendo que são muitas as possibilidades, ao mesmo tempo que vivenciamos a nossa própria jornada de descobertas, emaranhados, nós que são feitos e desfeitos nesse eterno processo de devir, se construir, se fazer a cada instante.

Faço uma metáfora de que aquele que busca um processo terapêutico, está disposto a percorrer a jornada do herói, que se aventura por terras desconhecidas na certeza de que ainda que seja nas profundezas das montanhas, encontrará o bom e o belo. Sendo que, nessa jornada, muitos são os dragões com quem temos que lutar nas batalhas a serem travadas, mas também, muitas são as surpresas que nos são reservadas a serem descobertas, as lágrimas a serem derramadas, não só de dor e sofrimento mas também de contentamento e emoção.

Algo muito importante e confortante nessa viagem é que o guerreiro-herói não está só. Ele tem os seus guias, muitos dos quais ele descobrirá e se conectará ao longo dessa jornada, e aí, cada um tem os seus, conforme suas crenças, convicções, filosofias e religiões. Mas, além desses guias e mentores, bem ao seu lado, sentado, caminhado, viajando a pés ou a cavalo, ele sabe que conta com um companheiro de viagem, com quem pode dividir a canção:
“Nada a temer
Senão o correr da luta
Nada a fazer
Senão esquecer o medo
Abrir o peito à força
Numa procura
Fugir às armadilhas da mata escura

Vou descobrir o que me faz sentir
Eu, caçador de mim”

Pois é, então é nesse lugar que se coloca o terapeuta: ao lado. E estando ao lado, o terapeuta começa também a sua jornada. Uma bela jornada, a jornada do encontro ao sagrado, porque sagrado é a alma do outro que se descortina sob suas vistas. Penso que nessa relação se corporifica o encontro a que Martin Bubber se referiu quando falou do Eu e o Outro, ambos sujeitos, nunca sujeito e objeto.

Mas, o que é SER SUJEITO nessa relação de encontro com o outro que está em busca de empreender sua jornada?

Ser Sujeito é, especialmente, naquele momento, estar na sua inteireza e totalidade para lidar com o outro que está na busca de sua própria inteireza. É respeitar o ritmo de cada um, respeitar o limite e as possibilidades do outro, o seu movimento de progressão e regressão, sua necessidade de acolhimento. Permitir ao outro abrir sua janela, o seu buraco, para olhar para dentro com a segurança de que encontra apoio e suporte nesse olhar.

Ajudar no processo de fortalecimento do outro para que ele seja um ego estruturante, não precisando se defender e se esconder num ego inflado, vaidoso, prepotente, para que possa trilhar sua caminhada da individuação, onde se estabelece o diálogo sereno entre o consciente e o inconsciente e o indivíduo encontra o seu Self, seu Eu Superior, sua Centelha Divina.

Conseguindo acompanhar os passos do herói nessa jornada e ajudando-o a encontrar o seu lugar de paz e tranqüilidade o terapeuta conseguiu honrar o seu papel e o seu lugar.


Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Psicóloga Ana Cristina Botelho   
Ana Cristina Botelho é Psicóloga, Coach e Facilitadora de Desenvolvimento Pessoal e Profissional. Sua missão é ajudar pessoas no seu processo de empoderamento pessoal. Atende em SSA e via Skype. Tel. Vivo-(71) 9966.1533; Tim- (71) 9150.9923.
E-mail: acristinab@uol.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 17/05/2010
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.