Esqueci a senha
 

 
Bookmark and Share

SENTIMENTO, PENSAMENTO E AÇÃO

por Raul Imhof - raulimhof@terra.com.br

Como seres humanos viemos ao mundo para evoluir, trabalhar pelo progresso da humanidade e do planeta. Para alcançarmos estes objetivos é necessário a observância de algumas regras de autodisciplina. Regras estas possíveis de serem respeitadas. São regras de vigilãncia de nossos pensamentos, sentimentos e ações e também das emoções.
Jesus Cristo em seu Evangelho prescreveu verdadeiras regras de pensar, falar e agir, para que a humanidade as seguisse, com a finalidade de viver em paz, feliz e em harmonia com o mundo.

Quando Ele nos disse "Orai e Vigiai" estava claramente nos advertindo que tomássesmos cuidado com os nossos pensamentos, sem dispensar o recurso da oração que nos coloca em sintonia com as influências superiores.

Quando Ele disse "orai pelos inimigos ou pelos que vos perseguem" está nos aconselhando a:
-nos afastarmos do ódio, tão nocivo à propria vida daquele que o pratica;
-nos defendermos de influências mentais negativas tanto no plano físico quanto do extrafísico com as quais poderemos comungar este sentimento.

Sabemos, hoje, que a palavra articulada pelo homem tem o poder da realização. Poderemos, assim, constatar que tudo que foi concebido inicialmente pelo pensamento, ganhou vida pela palavra, tornou-se realidade e deu corpo a uma idéia. No campo das emoções e dos sentimentos as coisas se processam de uma forma bem mais instantânea, muito mais rápido do que possamos imaginar.

Procuremos então:
- vigiar nossos pensamentos pois eles podem se transformar em palavras;
- vigiar nossas palavras pois elas podem se transformar em idéias;
- vigiar nossas ações pois elas podem se transformar em hábitos;
- vigiar nossos hábitos para que não se transformem em vícios.

Assim pensando e agindo estaremos refletindo um pouco antes de:
- aninhar na mente qualquer sentimento;
- de dizer qualquer coisa;
- de praticar qualquer ação;
- de acolher no coração qualquer sentimento.

Todo aquele que reconhece em si um arsenal de variadas potencialidades não pode deixar de cultivar, no fundo da consciência, determinado senso de responsabilidade em relação ao que pensa, fala e pratica. Enquanto corpóreo o homem deve saber que determinadas ações realizadas por meio de seu veículo físico poderão ter consequências imprevisíveis e irreversíveis.

Enquanto espírito o homem não pode ignorar que mesmo estando encarnado atua em dois mundos e interage com seres que desconhece, em seu estado consciente. Isto significa que enquanto hostilizamos alguém ou nos abandonamos a inocentes devaneios ou nos entregamos a determinados sentimentos como a autopiedade, por exemplo, poderemos estar nos associando a energias e seres cuja potencialidade e periculosidade nem de longe poderíamos avaliar.

Antes de tudo, é necessário que se saiba que a pior doença do corpo físico não se compara à menor doença da alma. Portanto saber que estamos neste mundo para curar nossas chagas espirituais pode ser um bom ponto de partida. Não é demais afirmar que a doença física, longe de ser uma desgraça, um castigo de Deus, na maioria das vezes, é um eficiente remédio para corrigir as doenças da alma.

O ser humano deve procurar evoluir e melhorar tendo Cristo como alvo. O dia de hoje é sempre melhor que o anterior, já que a vida pulsa no presente e nunca no passado o qual não passa de um arquivo morto da eternidade.

Um estado constante de alegria, gratidão e reverência ao Criador deve ser cultivado e mantido na alma daquele que se diz um aspirante sincero a melhorar-se, e com isso fazer o planeta Terra evoluir. Despertar no nosso semelhante este mesmo espírito é também de grande ajuda a esse indivíduo de boa vontade e a Mãe Terra agradecerá por isso uma vez que estará contribuindo para a sua purificação. É extremamente agradável ao Senhor ver que seus filhos mais lúcidos se esforçam para despertar o ânimo dos que dormitam na indolência espiritual.

Ainda não sairam de moda expressões como: "muito obrigado", "com licença", "me desculpe", etc. Retribuir o mal com o bem é uma forma de conquistar um amigo e torná-lo um amigo dos anjos. Considerar um doente aquele que agride é, ao mesmo tempo, um ato de caridade e uma boa forma para não se sentir ferido em seu amor próprio. Se agirmos assim e através do trabalho com Cristo estaremos ajudando o espírito a verticalizar-se e ascender em direção à Luz, onde finalmente será feliz e terá a tão buscada paz.

Uma boa semana para todos

Raul

Texto revisado por Cris


por Raul Imhof   
Lido 8209 vezes, 228 votos positivos e 5 votos negativos.   
Visite o Site do autor.   

Gostou deste Artigo?
Sim Não    
Imprimir
este Artigo
Enviar para
um amigo
Outros Artigos
deste autor


© Copyright 2000-2014 SOMOS TODOS UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
PRINCIPAL ARTIGOS
LOGAR PRODUTOS
ASSINAR SERVIÇOS
PARTICIPANTES EVENTOS