CADA UM EM SEU LUGAR  
   

CADA UM EM SEU LUGAR

Autor INSTITUTO LOTHUS -ESCOLA DE MAGIA INTERIOR - deniconstantino@gmail.com


         Perguntando a várias crianças o que é o Natal, recebi respostas semelhantes:"É quando o papai Noel traz presentes !".           Nós, adultos sabemos que Natal é mais do que isto:   sabemos que é a comemoração do nascimento de Jesus Cristo.

          Mas...  será que ainda nos lembramos disto?

         O chamado Papai Noel era na verdade Nicolau, nascido na Ásia Menor (hoje Turquia), em 281. Filho de pais ricos, Nicolau viajava muito e sempre teve em mente ajudar os necessitados por onde passava. O tempo e suas contribuições foram se tornando mais volumosas e mais conhecidas, o que deu a ele a referência como protetor das crianças e dos marinheiros.

          Assim, essa figura do velhinho que entrega presentes baseia-se nas ações do bom coração de São Nicolau  -  em sintonia com os princípios que o Mestre veio ensinar: o princípio do AMOR, da caridade e da Luz.

         O comércio, com o tempo, se apropriou desta lenda, fortalecendo-a para seus interesses de consumo, o que acabou por tomar cada vez mais espaço nas mentes e corações das pessoas. Até chegar ao ponto de encobrir o verdadeiro sentido do Natal - que, se chega até as crianças, teve inicio nos adultos, já que as crianças aprendem com os adultos com quem convivem!...

         Nesta época, as pessoas se envolvem numa corrente de agitação e atribulação, em compras de presentes, compras e preparo da ceia com seus pratos e complementos.

         É uma grande festa. Claro que uma festa é muito bem vinda.

         O problema surge quando a festa se desvia de seu objetivo inicial:  acaba se prestando a encobrir o verdadeiro homenageado  - lembra-se de Papai Noel e se esquece do Mestre Jesus. Certamente Papai Noel pode ter seu espaço, trazer a intenção de distribuir ajuda e presentes, mas ele é apenas um agregado, e não o dono da festa.

         Toda essa correria faz das pessoas em pilares de tensão, que se irradia e transforma uma oportunidade de alegria, em possibilidade de estresse. Então, tudo é visto como motivo para peso e tensão, muito distante da leveza e alegria proposta inicialmente: os presentes deixam de ser comprados com o coração, mas apenas por obrigação; a ceia se torna uma corrida contra o tempo, muitas pessoas se reúnem por imposição, come-se e bebe-se em demasia, esquecendo-se também da saúde do corpo físico, e então o peso e a tensão chegam ao mais denso: o corpo, o que torna as pessoas ainda mais cansadas... 

        Transforma-se uma festa do CORAÇÂO e do SER numa festa do TER e do CONSUMIR...

        Que pena! Esta era para ser uma festa de Leveza e Amor... Uma celebração da Amizade, Abertura para a Luz e contato com o Sagrado e o Divino! Mas podemos rever estas questões. Olhar para tudo isso e fazer ALGUMA COISA DIFERENTE:

    - Ao sentar à mesa na ceia de Natal, começar por agradecer a possibilidade de mais esta reunião; e lembrar-se de quem é o "dono da festa", oferecendo ao Mestre um presente, que pode ser uma oração, ou de um momento de silêncio e reverência.

      - Ao invés de simplesmente encher a mesa de "comidas e bebidas" - geralmente em exagero e acabam sobrando (já viu isto em algum lugar?), podemos olhar também para as pessoas sentadas à mesa, e

ver atrás de seus olhos alguém que procura acertar apesar de seus erros; alguém que traz toda uma estória de vida; olhar para as pessoas que compartilham da mesa não apenas como aqueles que precisamos aturar até que esta festa termine...

     - Ao buscar os presentes, procurar colocar-se no lugar do presenteado, deixando de lado a necessidade de presentes caros de grande efeito, oferecendo algo simples, procurando dar algo que a pessoa gostaria de receber, ao invés de comprar por comprar...

     - Ao invés de comer e beber até não agüentar mais, podemos ingerir mais do que apenas abastecedores do corpo físico: ingerir  a Luz e o Amor disponíveis no Universo  - sempre e em cada dia  - mas que especialmente neste momento, por toda um campo criado, estão ainda mais presentes e disponíveis para nossa assimilação.

         Nesta fase de transição planetária, onde somos chamados a rever nossa postura frente ao Universo e a nossos companheiros de vida, talvez fosse interessante colocar aos pés da árvore alguns presentes para todo o ano: presentes que fazem a ALMA feliz... AMOR, AMIZADE, COMPREENSÃO, COOPERAÇÃO, LEVEZA, ATENÇÃO, PUREZA DE PENSAMENTOS, ALEGRIA E SUAVIDADE ... Além de outros que você certamente pode relacionar!

         Talvez fosse interessante rever o mero TER e CONSUMIR e vir para dentro do coração, que é onde esta festa deveria acontecer!

         Vamos colocar cada um em seu lugar de direito.

         Abra espaço para o Mestre em sua festa de Natal ... e em cada dia do Ano que se inicia!

                              

 

 



Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Total de 4 votos

Autor: INSTITUTO LOTHUS -ESCOLA DE MAGIA INTERIOR   
Atendimentos, Oficinas e Cursos, Palestras, Vivências, Atividades na Natureza
E-mail: deniconstantino@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 06/01/2010
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.