Esqueci a senha
 

 
Bookmark and Share

Desprezo

por Silvana Giudice - silvanagiudice@hotmail.com

O desprezo é um sentimento amargo, tanto aquele que desfere, quanto aquele que recebe.
Quando desprezamos, precisamos refletir profundamente os motivos que nos levam a agir de tal maneira.  Pode parecer que não, mas quando temos este sentimento por alguém, podemos estar sofrendo tanto ou até mais do que aquele que é o alvo da nossa falta de apreço.

Desprezar significa colocar-se geralmente em um degrau de superioridade e arrogância, avaliando o seu alvo com pouco caso ou até uma dissimulada indiferença.
Indiferença, que não é verdadeira, porque se assim o fosse, não perderíamos nosso tempo tentando atingir o outro, porque, na verdade, é isso que aquele que despreza deseja:
ferir o outro.

O olhar de menosprezo é um olhar inadequado. Todos somos importantes e temos o nosso valor aos olhos do Criador, independente de nossa religião, status social, posição profissional ou preferências.
Como o arquiteto poderia ver a sua obra finalizada, se não fossem os seus construtores?
Perfeitos ou imperfeitos, todos desempenhamos nosso papel no Universo, e acredito que “ao seu modo”, ninguém tem como prioridade desempenhá-lo de maneira errada ou inadequada.


Se alguém nos incomoda e o tratamos com desdém, convém fazermos uma análise profunda dos reais motivos que estão por trás de tal atitude. Com certeza, se agirmos com critério, poderemos também captar uma mensagem implícita neste contexto de julgamento.
Aquele que é desprezado, sente a dor do desprezo, mas convém àquele que desdenha e sente prazer nisso, avaliar o motivo de tão limitada visão.

Com que pretensão nomeamos, julgamos e condenamos?
O que estaria por trás dos atos de desprezo, desferidos à alguém?
Através de nossas carências e fraquezas estamos também nos tornando avalistas do nosso próprio adiamento evolutivo.
Te preocupas em desprezar alguém, o quanto tu te importas na verdade com ela.
Por trás do desprezo, pode existir um outro sentimento mascarado que talvez não queiramos admitir nem a nós mesmos!


“Apenas quem é desprezível, pode ter medo de ser desprezado”.
François de La Rochefoulcauld


Silvana Giudice é pedagoga e conselheira metafísica. Devido aos excelentes resultados, a Terapia de Imagens Visuais tornou-se seu principal instrumento de trabalho. Utiliza o Tarô Celta como aconselhamento, bem como a Numerologia. Desenvolve seu trabalho na Confraria dos Mestres.
Rua Serra de Botucatú, 1037 (prox. Metro Carrão)- Tatuapé

São Paulo- Capital
Fone: 2097-6400 e 3586-8885
Celular: 9590-0515
 

Texto revisado




por Silvana Giudice   
Terapeuta Holistica- Numerologia- Astrologia e Tarô - Aconselhamento Metafísico em todos os atendimentos Endereço- Instituto Be Happy- Rua Emilio Mallet- 227 telefone- (011) 3586-8885 e 98706-0806 Tatuapé- São Paulo mais informações- silvanagiudice@hotmail.com
Lido 4152 vezes, 26 votos positivos e 4 votos negativos.   
E-mail: silvanagiudice@hotmail.com
Visite o Site do autor
Gostou deste Artigo?
Sim Não    
Imprimir
este Artigo
Enviar para
um amigo
Outros Artigos
deste autor


© Copyright 2000-2014 SOMOS TODOS UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
PRINCIPAL ARTIGOS
LOGAR PRODUTOS
ASSINAR SERVIÇOS
PARTICIPANTES EVENTOS