Artigo de Daniele Alvim: Amigo: Se você tem apenas um nunca estará sozinho - | Artigos do Clube
 
Amigo: Se você tem apenas um nunca estará sozinho  
   

Amigo: Se você tem apenas um nunca estará sozinho

Autor Daniele Alvim - danielealvim@hotmail.com


Amizade é coisa rara.... Já ouvimos falar isso várias vezes ao longo da vida, não é? Com a entrada da Nova Era de Aquário talvez esse ditado perca a sua força, pois esta, como muitos de vocês já devem saber, é a era da comunicação, do intercâmbio, da globalização, onde notamos uma disposição maior nas pessoas em criar vínculos, em quererem se desenvolver através das várias redes de relacionamentos. O boom da internet já demonstra isso. Somos milhões de pessoas interligadas através de orkuts, facebooks, myspaces, twitters, homepages, blogs... Existe melhor forma de se autoconhecer do que através dessas webs? Onde colocamos o melhor de nós mesmos, onde damos o melhor de nós mesmos, onde mostramos o melhor de nós?

Mas aí alguns podem pensar: mas este é o problema, ninguém mostra o que verdadeiramente é... E eu respondo que, aí sim, mostramos quem verdadeiramente somos... E nessa energia de divulgarmos sempre o nosso lado mais perfeito é que podemos nos conhecer através de nossa Luz, e não de nossa sombra. Esse lance de se identificar com a sombra, somente com a sombra, pode ser transformado através da boa comunicação que nos esforçamos em ter na internet. E como tudo o que acontece conosco acontece como conseqüência de uma intenção que está por detrás de uma ação, eu acredito piamente que a internet chegou para revolucionar também o modo como nos enxergamos e enxergamos as outras pessoas. Quem não quer estar em contato com os amigos? Quem não quer fazer novos amigos? Quem não quer rever antigos amigos? As redes de relacionamentos proporcionam isso.

Mas aí alguns de vocês podem pensar novamente: Bem, Daniele, mas amizade é mais do que isso. É mais do que trocar scraps, depoimentos e mensagens na web. Amizade requer contato físico, sair pra tomar uns chopes de vez em quando pra falar bobagem e rir à toa, telefonar pra matar saudade, chorar no ombro quando precisamos ou oferecer o nosso ombro também. Amigo é algo mais profundo. Ou não é? Aí, eu digo que sim, pode ser algo que requeira mais intimidade. Mas também penso que cada pessoa dá o que tem, o melhor que tem e da forma como pode oferecer. Se limitamos a forma como reconhecemos uma amizade, limitamos também a consciência que temos a respeito de termos ou não amigos. Podemos receber uma mensagem de alguém que nunca vimos, mas que pode ter mudado o nosso dia pra melhor, como algo banal ou, ao invés disso, olharmos sob o prisma da amizade, interligação das consciências e sincronicidade, e nos sentirmos gratos e, com isso, preenchidos por dentro.

Por que não pensar que, antes de tudo, somos amigos de quem por nós se afeiçoa até que se prove o contrário? Amizade é também uma prova de perseverança. Não é no primeiro acontecimento que nos desagrada que temos de dar as costas. Quem é perfeito, afinal? Se simpatizamos por alguma pessoa, e achamos que poderíamos ser amigos dela, quem sabe, por que não investir? Não está na hora de revermos a palavra amizade, ampliarmos o seu significado, a fim de nos sentirmos mais plenos e rodeados de amigos? A verdade é que o pensamento que temos sobre o que é ter amigos é que muda completamente a questão. Se pensamos que já o temos, ainda que, tudo bem, essa ou aquela pessoa não nos considere com tal (porque não confia em nós), a verdade é que começaremos a atrair aqueles que assim vão nos considerar. E aí, então, nos sentiremos cheios deles, ainda que um ou outro ainda não tenha se tocado disso devido ao fato de ainda estar na energia de julgamento (de si mesmo inclusive).

E não é verdade que muitas vezes estamos em rodas de amigos e nos sentimos muito mais sozinhos do que se estivéssemos sós de fato? Falta de confiança; porque se sentíssemos o próximo realmente próximo a nós, nos sentiríamos íntegros em nos abrirmos para ele a fim de senti-lo, confiaríamos também em sermos nós mesmos, e aí não nos sentiríamos sozinhos mesmo rodeados de gente. Então, por que não acreditar que via redes de relacionamentos não podemos nos sentir preenchidos por nossos amigos virtuais? Tenho um monte deles e sou grata por todas as mensagens e recados que me chegam por esse meio. Vários deles conheci ao vivo e, olha, eram bem melhores que na net.

Não posso reclamar sobre ter amigos, meus irmãos, camaradas... Tenho sim os da internet - vocês meus queridos leitores, podem se considerar como tais - tenho os de infância e os que surgiram depois... Mas sempre considerei mesmo os que não eram como se o fossem. Sempre pensei assim e continuarei pensando. Talvez agora, com a moda que veio para ficar dos "orkuts", as distâncias que nos separavam das pessoas ficaram mais estreitas, o mundo ficou menor e mais aconchegante...

E você? Tem amigos? Pode chamar alguém de amigo? Se não tem, então, é porque não quer. Mas se você tem ao menos um único amigo, saiba que jamais estará sozinho. Ah, sim! E eu já ia esquecendo do meu gatinho... 





                                                                                                                                                     Texto revisado por: Cris



Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Daniele Alvim   
Daniele Alvim é Escritora, Terapeuta e Professora de Aura-Soma
Visite seu Blog, Twitter e minha comunidade de Aura-Soma no Orkut.

E-mail: danielealvim@hotmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 21/08/2009
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.