Artigo de Flávio Bastos: Momentos de silêncio e solidão - | Artigos do Clube
 
Momentos de silêncio e solidão  
   

Momentos de silêncio e solidão

Autor Flávio Bastos - flavio01bastos@gmail.com


O tempo nada representa na esfera da espiritualidade superior. O tempo é senhor do destino da humanidade encarnada, mas não daqueles que se encontram do "outro lado". Porque te angustias em relação ao pretérito e ao futuro, se no agora está o que necessitas em termos de experiências que te proporcionam lições e aprendizados?

O futuro pertence à extensão do que construíste no presente. Ainda não percebeste a sutil relação entre o que foste, o que és e o que serás? É no momento atual que construirás plataformas firmes ou débeis estruturas que desmoronarão com o passar do tempo terreno.

Tudo aí está para que processes tua evolução. Aqui, encontrarás o resultado do que construíste ou deixaste de construir em benefício próprio e também do semelhante...

A orientação Crística é clara: "A cada um conforme as suas obras", esclarece e orienta o que deves entender como sendo a consequência do que és, mas que poderás ser a partir da consciência assumida com a auto-transformação.

A dádiva da vida é um raio de luz na escuridão do que deixaste de aprender no passado. Ilumina a tua existência, sem, no entanto, esqueceres a mesma Luz que deve envolver o irmão que encontra-se ao teu lado na longa jornada do espírito.

Desapega-te, despoja-te do superficial que nada contribui aos genuínos interesses da evolução a que foste destinado. Substitui a ociosidade, a inércia existencial pela perseverança no aprender sempre, humildemente, conforme as lições e aprendizados de que necessitas no momento.

Não desperdices a oportunidade de crescimento, porque o oposto da tendência natural somente atrasará a tua evolução, deixando-te alienado a respeito de ti mesmo...

Abre o teu coração e deixa a energia do universo envolver-te a partir do chacra cardíaco. Eleva o teu pensamento e sentirás as estrelas mais próximas de ti, então,  sentirás a força que emana do cosmo através do conhecimento e da sabedoria.

Não te apequenes, porque o significado da vida é infinitamente superior ao que imaginas. Ao contrário, te engrandece na energia vital que por direito natural te pertence, pois em ti brilha a luz da Fonte do amor maior que a todos acolhe e liberta.

Não esqueças que através de ti existe uma força poderosa que faz sentido a tudo, desde a razão da dor, do sofrimento e da felicidade que tanto procuras...

Sonha no hoje, mas também realiza no agora, assim poderás construir os teus reais castelos de areia no amanhã, fonte de água cristalina que recebe a transparência do que realizaste pelo fluxo do amor...

Sejas sábio e eterno como a energia que emana da Fonte universal. Sejas verdadeiro e justo, porque somente assim compreenderás o que necessitas entender sobre ti na relação com o outro.

Sintas a vida a partir de ti mesmo, mas com o olhar voltado para o Alto, onde encontra-se a realidade do que tu és e o que significas para o universo...

E aproveita os momentos de silêncio e solitude, pois é através de seus canais de comunicação com o Alto que encontrarás o "novo" que deve fluir em ti, sem bloqueios ou receio de ser feliz . Não desistas, persevere! É o teu desafio, caminho e meta.

CONSIDERAÇÕES SOBRE A MENSAGEM

A mensagem "Momentos de silêncio e solidão", canalizada em 13 de junho, orienta-nos a respeito da importância de reservarmos um momento de cada dia para a necessária introspecção, ou seja, para que analisemos os nossos próprios pensamentos e sentimentos com o objetivo de providenciarmos um "desarmamento interior" da energia negativa acumulada na relação consigo mesmo e com o outro. E nesse sentido, a meditação ou a prece aparecem como imprescindíveis instrumentos de higienização mental ou de descompressão interna para que ocorra o alívio da pressão exercida pelo nosso psiquismo. A solidão é compreendida como o momento de nos sentirmos solitários, isto é, sós com os nossos pensamentos e mais nada que possa interferir na experiência íntima.

Elevar, portanto, o pensamento ao Alto, exige-nos uma atitude de recolhimento. O "entrar no quarto" é muito mais do que a busca por um lugar reservado e quieto, é o espaço que buscamos para que ocorra, através da meditação ou da prece, o bloqueio dos sentidos físicos a fim de que não interfira na comunhão espiritual, os estímulos da dimensão material.

Conforme o espírita Manoel Philomena de Miranda, a comunhão com o Alto, exige-nos "recolhimento, silêncio físico e mental, eis as condições ideais para a prece ou para a meditação". E conclui: "Algumas vezes, até o som da nossa voz é preciso calar, já que os pensamentos dispensam qualquer roupagem para alcançar o Criador, conduzidos que vão a qualquer lugar ou plano vibratório pela propagação do fluído cósmico em que todos estamos mergulhados".

Para finalizar, lembremos as palavras de Jesus Cristo, quando referiu-se ao silêncio interior como requisito fundamental para a conexão com o Plano superior: "Tu, porém, quando orares entra em teu quarto e, fechada a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai que vê em secreto te recompensará".

Psicanalista Clínico e Interdimensional.
www.flaviobastos.com
Dirigente mediúnico espírita

Texto revisado por Cris



Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: flavio01bastos@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 22/06/2009
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.