Esqueci a senha
 

 
Bookmark and Share

FALANDO DE ANSIEDADE

por Eda Cecíllia Marini - edamarini@outlook.com

Quem de nós nunca se pegou, em determinados momentos da vida, assustado, com uma sensação de “frio na barriga”, peito apertado, sem ar, respiração curta, coração disparado, mãos geladas e suadas, tremedeira, suadeira, atitudes desconexas e impulsivas, beirando a agressividade, tontura e até náuseas? E quem de nós não definiu isso como “nervosismo”?

Por que essa sensação de desconfiança e impotência, esssa falta de paz? Por que tanto medo?
Simplesmente, porque não estamos no momento presente, no agora, e sim, preocupados – pré-ocupados – com o futuro, querendo controlá-lo e manipulá-lo, de acordo com nossos desejos e previsões. E porque cremos no mal e na dificuldade como sempre certos e no Bem e na positividade – destinado só para os “eleitos”–, fantasiamos os acontecimentos sempre com pessimismo, com a desculpa de sermos previdentes e prudentes.
Vivemos no eterno “e se”, ou somente “se”: “se ele falar isso, respondo aquilo” ou “e se não der certo?”
Fazemos um escarcéu e, assim, nos aprofundamos na ilusão do fracasso, ilusão esta criada pela nossa imaginação fértil.
Essa sensação de impotência, além do medo, causa irritação, raiva, impulsividade, atos precipitados, (quem nunca tropeçou na calçada porque estava preocupado pensando em outra coisa??) numa clara autoviolentação. Sem falar da depressão, sinônimo de acúmulo de raiva e frustração.
O medo de fracassar ou adoecer é cultivado quando remoemos na mente consciente estes pensamentos. Eles fincam suas raízes no subconsciente e este, por sua vez, por ser muito obediente, prepara tudo para acontecer exatamente como foi imaginado: fracasso, doença, dificuldade, injustiça.
Este comportamento dividido entre o presente e o futuro causa uma excitação emocional muito grande, que se reflete no físico; ela envia excessiva energia a certas partes do corpo em detrimento de outras, que deixam de receber sua quota normal de energia. É o desequilíbrio somático.
O estresse – palavra há muito criada pela ciência para definir um processo fisiológico de pronta-resposta, patrocinado pelas glândulas suprarenais que descarrregam na circulação sanguínea o hormônio adrenalina, além de outros – é resultado dessa descarga constante causada pelo sofrimento trazido pela divisão do indivíduo, que, em conflito interior, está no aqui e agora e quer estar lá, no futuro.
Não podemos deixar de lembrar que, pelas leis da física, semelhante atrai semelhante. Se somos espiritualistas, sabemos que criamos pelo pensamento e pelas emoções, e que sintonizamos com os alheios que se afinam com os nossos. E pronto! O “imbroglio” está feito! O pacote completo de confusão energética “psico-bio-astral”!
Embora a vida pareça caprichosa, incerta e cheia de surpresas de toda ordem é mister nos lembrarmos de que ainda assim não estamos sós e sim sob a proteção amorosa e orientadora de Deus e de sua Providência Divina. É preciso fé, convicção de que o que for será, no momento e do modo melhor para a solução do caso.

Afirmar isto não é um incentivo à negligência, preguiça, imprudência ou imprevidência.
Metas são necessárias, com organização, objetividade, preparo e disciplina para cumpri-las.
Mas sem desespero e aflição, sem preocupação exagerada sob a desculpa de prudência, sem angústia por algo que ainda está na hipótese, ainda não existe.
Seja qual for seu temor, desvie sua mente dele e entregue o caso a Deus – não empreste, entregue!!!
Pratique a fé nEle e Ele providenciará a resposta certa no momento certo, de acordo como você precisa.
Mentalize: “O Pai Celestial está comigo e é por mim. Eu tenho sua força. Por isso, estou protegida e nada e ninguém são contra mim”.
Enquanto mantiver sua consciência em Deus, jamais sentirá medo e ansiedade. Todos os obstáculos serão superados pela coragem da fé.
Lembre-se do grande Jesus: “Olhai os lírios do campo que não fiam nem tecem e, no entanto, nem Salomão tem vestes mais lindas do que as que lhes deu o Pai do Céu…”

Em momentos de ansiedade – quem ainda não está livre deles?? – pare e perceba:

- sua respiração;
- seu campo de energia;
- lembre-se de que tudo o que você teve que lidar e enfrentar até hoje, em sua vida, sempre foi o momento presente, em oposição às projeções de sua mente sobre o futuro;
- pergunte-se: “qual é o problema neste exato momento? Agora, não, daqui a 5 minutos, amanhã , ou no ano que vem. Mas, o que está errado agora, neste exato instante?

Você constatará que, o que você pode enfrentar está acontecendo, e jamais o futuro imaginado; e que as respostas estarão à sua disposição nem antes e nem depois mas sim no momento certo.

Aprenda a apreciar o encanto e a beleza de cada instante! Por pior que possa parecer, sempre há algo bom para ser apreciado. Isto é praticar a presença do agora, é praticar Paz.
Paz não se compra nem se ganha, mas se cultiva, dentro de nós. É conquista pessoal.
E na Paz, estamos com Deus.
Além do mais, a vida se torna mais divertida quando não levada a ferro e fogo. Não se trata de leviandade, omissão ou negligência, mas sim, de dar o peso certo a cada fato, o que traz leveza à qualidade de vida.
Por isso, onde quer que você esteja, esteja por inteiro. Saia do eterno estado de espera, quando se deseja o futuro – o que ainda não se tem – e não o presente, que é o que já se conseguiu.
Ex.: “Espero ser próspero, no futuro. Estou me esforçando para isso”.
Mas, e o que tenho hoje, o que sou, o que consegui?
Reconheço, com gratidão, o que fiz e tenho hoje?
Seria a prosperidade somente a financeira? Ou é mais ampla?
Quando reconheço minha vida agora, com gratidão, estou na prosperidade e ela, no momento certo, cada vez mais se manifestará no momento certo, e da forma que nunca imaginamos.

Desista da falsa esperança. Quando estamos presentes não precisamos esperar por nada porque sabemos que tudo corre sob a proteção do Pai, que sempre nos orienta e aconchega.
Estamos em comunhão com o divino, no estado de presença e da Presença maior.

Ficar neste estado pode ser comparado à espera, mas uma espera diferente, que requer prontidão total, ligação, atenção, pois alguma coisa pode acontecer e se não estivermos presentes, calmos e espertos, vamos perdê-la.
Por isso, é preciso estarmos presentes com todo nosso ser, com cada célula de nosso corpo físico.
Nesse estado, nossa atenção está no agora, na confiança, na fé; não há fantasia, tensão, dor, medo.
Apenas uma leve estado de alerta, uma confortável sensação de preenchimento interior, de segurança e plenitude pois estamos na Luz e com a Luz.
Esta é a verdadeira entrega. A humildade verdadeira. A paz em nós.

Texto revisado por: Cris




por Eda Cecíllia Marini   
Lido 3664 vezes, 62 votos positivos e 1 votos negativos.   
Visite o Site do autor.   
Gostou deste Artigo?
Sim Não    
Imprimir
este Artigo
Enviar para
um amigo
Outros Artigos
deste autor


© Copyright 2000-2014 SOMOS TODOS UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
PRINCIPAL ARTIGOS
LOGAR PRODUTOS
ASSINAR SERVIÇOS
PARTICIPANTES EVENTOS