Artigo de Daniele Alvim: O resgate do amor e a consciência das três estrelas - parte I - | Artigos do Clube
 
 
   

O resgate do amor e a consciência das três estrelas - parte I

Autor Daniele Alvim - danielealvim@hotmail.com


Introdução

O tema das Três Estrelas constitui a essência filosófica da Aura-Soma, o núcleo central do sistema. Considero-o de real importância na medida em que, através deste conhecimento, podemos ter acesso a todos os nossos potenciais criativos que são a expressão mais autêntica de nossa alma. Ao entrarmos conscientemente em sintonia com as qualidades irradiantes de nossa natureza fundamental e também a expressarmos, podemos obter as respostas àquelas três clássicas perguntas que fazemos quando chegamos a determinado ponto no caminho do autodesenvolvimento: “Quem sou eu? De onde vim? Para onde vou?” Como resultado deste esclarecimento interno podemos contribuir de forma mais eficaz para o desenvolvimento e conseqüente evolução pessoal e do Planeta.

O tema foi desenvolvido não somente a partir de uma análise do significado de cada uma das Estrelas, como também dos seguintes temas afins, todos frutos, simultaneamente, de uma pesquisa sobre o assunto, de minha experiência como terapeuta Aura-Soma, e de conexão com a intuição: O Papel da Aura-Soma no Processo da Individuação da Alma; Aura-Soma: O Caminho do Coração e As Qualidades das Cores e Significados dos Propósitos da Alma.

A Estrela da Terra

Todos nós possuímos, localizadas em nossos corpos sutis, o que se pode denominar de “Três Estrelas”: a Estrela da Alma, localizada na região do 8ª chacra, 10 a 20 centímetros acima da cabeça; a Estrela da Encarnação, situada na região entre o 2º e o 3º chacras, e a Estrela da Terra, localizada 10 a 20 centímetros abaixo dos pés, no chacra da terra. Estas estrelas contêm os registros passados, presentes e futuros de todos os seres que fomos, somos e seremos como consciências planetárias e terrestres.

A Estrela da Terra contém o registro de tudo o que vivenciamos e experimentamos por meio de uma consciência terrestre. Ela encerra o nosso destino na Terra para esta vida atual. Isto representa o que viemos cumprir e aperfeiçoar no contexto do carma e darma que geramos durante toda a nossa existência aqui neste planeta.

O primeiro passo rumo ao desenvolvimento de nós mesmos é através do contato com a energia vermelha. A consciência deve fixar-se na Terra, neste planeta que escolhemos encarnar e que também se estrutura, basicamente, através de uma consciência nuclear e de um corpo de luz e que deseja evoluir e tornar-se ele mesmo, uma estrela. Ao aprofundarmos a experiência na energia vermelha ativamos esta Estrela de forma a nos desenvolvermos e adquirirmos sabedoria no plano da Terra.

A energia vermelha está associada, principalmente, a questões de sobrevivência. É a energia que nos mantém vivos no sentido da preservação da própria vida, que impulsiona a perpetuação da espécie e que também está associada à paixão e à agressividade. Na medida em que nos aprofundamos na experiência terrena temos a oportunidade de elevarmo-nos um pouco acima, pelo despertar da energia rosa, que é o vermelho que, paulatinamente, vai se iluminando e tornando-se sutil. Esta energia traz a consciência do amor mais terno, delicado e desinteressado e a motivação elevada e altruísta, e não tão egoísta e autocentrada como a da energia vermelha, já que as questões de sobrevivência vão deixando de ocupar o primeiro plano.

Nesse processo de ancoração da consciência na terra permitimos que a energia rosa gradualmente se eleve e toque a Estrela da Encarnação e, então, o nosso destino começa a desenvolver-se permeado igualmente pela informação que começa a ser acessada da Estrela da Alma.

A Estrela da Encarnação

A Estrela da Encarnação é descrita como um resplandecente diamante situado no centro do nosso ser, na região dourada, onde a aura verdadeira é abrigada. A aura verdadeira é um campo de energia que envolve a célula primordial e que surge a partir de nossa concepção. No exato momento em que ocorre a fecundação do espermatozóide de nosso pai com o óvulo de nossa mãe, houve uma explosão de energia e nossa consciência foi atraída por uma Mandala constituída por uma estrela amarela de cinco pontas posta sobre um fundo azul. Este evento abriu caminho para a luz da Estrela da Encarnação. O azul e o amarelo da Mandala da Concepção combinam-se para dar origem ao rosa, energia sobre a qual se assenta a base filosófica da Aura-Soma.

A Estrela da Encarnação é preenchida pelas cores da aura verdadeira, que é a cor do raio da alma, e pela cor do raio da personalidade, que é formada a partir da combinação da linhagem genética de nossos pais. A combinação de ambas as cores revela a nossa potencial missão.

Há um holograma abrigado no meio desta Estrela que contém a informação de toda a nossa vida planetária e universal e de todos os seres que um dia fomos, somos e seremos. A informação nele contida só pode ser ativada por meio da energia magenta, que começa a fluir a partir do oitavo chacra, onde se localiza a Estrela da Alma. Este holograma, então, contém os registros akásicos da própria Estrela da Alma, que podem ser acessados a partir da Estrela da Encarnação, quando a energia magenta começa a fluir e se funde com a energia rosa e dourada desta Estrela.

A região onde está situada - entre o 2º e o 3º chacra, três dedos acima do umbigo, três dedos para dentro - é a área Dourada. A energia dourada representa a sabedoria que adquirimos ao longo da existência, o nosso verdadeiro Eu, o “ouro” que trouxemos e que viemos compartilhar. Podemos experimentar a serenidade e o equilíbrio a partir da sintonia com o âmago da consciência por meio da respiração consciente, levando o prana até esta área dourada. Para que esta Estrela seja ativada é necessário que resgatemos o amor incondicional por nós mesmos, que é o amor que independe de reconhecimento externo para ser sentido e exercitado, a principal ferramenta de que podemos lançar mão para liberarmo-nos do mecanismo de dependência de coisas externas para condicionar o nosso bem-estar interno. Neste processo de cultivar o amor interno e compartilhá-lo com o semelhante, começamos a ativar a Estrela da Encarnação e a acessar toda a sabedoria da alma contida nesta Estrela.

A energia do amor é a única energia motivadora da alma. Sem amor não há como contatarmos nossa verdadeira essência e sem entrarmos em contato com a alma, não podemos nos sintonizar com nosso verdadeiro propósito, isto é, aquele que está em sintonia com a própria alma.

Na medida em que esta Estrela é ativada a energia rosa sobe mais um pouco acionando a Esmeralda do Coração. Ao ativarmos a energia verde-esmeralda do chacra cardíaco, a sincronicidade pode começar a operar em nossas vidas e aquela sensação de estar no lugar certo, no momento certo e com as pessoas certas começa a se tornar realidade. Começamos a perceber que não há necessidade de fazermos qualquer esforço para obtermos o que desejamos, pois estamos no caminho certo, em sintonia com a nossa verdade. A permanência na consciência da unidade e beleza do coração somente ocorre quando passamos pela Estrela da Encarnação, como resultado do processo de individuação. No desabrochar deste processo começamos a permanecer mais neste espaço e compreender qual a nossa missão e a forma de desenvolvê-la.

parte 2


Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Daniele Alvim   
Daniele Alvim é Escritora, Terapeuta e Professora de Aura-Soma
Visite seu Blog, Twitter e minha comunidade de Aura-Soma no Orkut.

E-mail: danielealvim@hotmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 18/07/2005
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.