Artigo de Bruno J. Gimenes: Entendendo as formas-pensamento - | Artigos do Clube
 
Entendendo as formas-pensamento  
   

Entendendo as formas-pensamento

Autor Bruno J. Gimenes - bruno@luzdaserra.com.br


Nosso corpo físico é apenas a manifestação densa de um conjunto de corpos energéticos mais sutis, ou seja, corpos de luz. A nossa verdadeira identidade é essa energia primordial, moldando-se de acordo com os nossos sentimentos, emoções e pensamentos. É possível concluir que o corpo físico de qualquer ser é apenas o veículo para a alma, ou seja, onde a essência se aloja e mora por um período para que ela possa adquirir conhecimento e evoluir. Esse período é conhecido como vida ou encarnação.

O corpo denso é a resultante física manifestada do nível evolutivo do nosso espírito, dos nossos pensamentos, nossas emoções. Não é o corpo físico que molda o nosso espírito ou nossa essência, mas o nosso espírito que molda nosso corpo físico, graças à capacidade que nossas emoções e pensamentos têm de modificar esse padrão vibrátil a todo instante. Como o nosso espírito sofre influência direta dos nossos pensamentos e sentimentos, tudo o que pensamos e sentimos fica impregnado em nossa essência. Dessa forma, se pensamos coisas boas, expandimos e ampliamos a nossa energia. Obedecendo à mesma regra, se pensamos e nos ligamos em coisas negativas, perdemos energia, vitalidade. Assim sendo, temos a nossa essência alterada negativamente pela influência de aspectos pessimistas, densos, mesquinhos, materialistas, consumistas, dentre outros.
O corpo físico é apenas o sinalizador das condições em que o espírito se encontra. A doença é a indicação de que algo está errado, pois mesmo se manifestando no corpo físico, a causa primária sempre será uma desarmonia no espírito que impregnou-se (somatizou) de energias negativas oriundas dos sentimentos, pensamentos conflitantes.

As causas espirituais de doenças também são de ordem vibrátil. Se o campo energético desses corpos de luz estiver abalado pela influência dos sentimentos e pensamentos que rebaixam a frequência vibratória, consequentemente assumirá padrão similar aos intrusos espirituais. O corpo físico é a exposição da essência interior, é uma espécie de “mapa” da alma, pois externa o que ocorre no nosso “Eu interior”.

A aura é a condensação das energias da alma. Pode se expandir, tornar-se maior ou menor de acordo com o nível de consciência, evolução espiritual e estado de espírito. Quanto menos expandido é esse campo energético, mais sensível e delicada é a saúde física do indivíduo. Uma pessoa com qualquer doença física tem seu campo de energia debilitado, frágil e com falhas energéticas (causa primária). Essas falhas -ou falta de energia na aura- é o início da doença que muitas vezes ainda nem se manifestou no corpo físico. Analisando por esse ponto de vista, quanto mais expandida e irradiante for a aura de uma pessoa, mais saúde em todos os aspectos ela terá. O contrário será igualmente verdade: quanto mais reprimida e menos expandida a aura for, maior será a tendência da pessoa adquirir doenças de qualquer espécie.

Quando se atinge uma expansão da energia pessoal, naturalmente obtida através de uma prece sincera, possibilita-se uma conexão com a consciência divina, presente em uma freqüência muito mais sutil da que vivemos. Essa sintonia torna a aura mais sutil também e isso a compatibiliza com as energias superiores, o que traz para à pessoa bem estar, equilíbrio, plenitude, auto-realização, saúde geral, criatividade, felicidade e muito prazer pela vida.

Em resumo, a sintonia mental tem o poder de moldar o corpo de luz, criando vibrações específicas que se manifestam a ponto de criar formas condensadas. Essas formas energéticas produzidas pelo pensamento a partir do corpo mental do emissor se revestem da energia circundante no plano extrafísico, onde se manifestam, tornando-se, assim, criaturas artificiais temporariamente vivas que podem influenciar as pessoas de maneiras variadas. Uma esplêndida gama de cores a acompanha, com intensidades e variedades incrivelmente intensas. O corpo mental projeta para o exterior uma porção energética vibrante de si mesmo que toma uma forma determinada pela própria natureza dessas vibrações. Essa atividade mental produz uma espécie de atração da matéria elementar do mundo mental, cuja natureza é particularmente sutil. Dessa maneira, temos uma forma-pensamento pura e simples, uma entidade vivente, de uma atividade intensa, criada por uma idéia que lhe deu nascimento. Se essa forma é constituída pela matéria mais sutil será tão poderosa quanto enérgica e poderá, sob a direção de uma vontade definida, equilibrada e firme, desempenhar um papel de alta transcendência.

“Formas-pensamento são causadas pelo pensamento atuante que gera uma forma. Essa forma passa a ser uma energia acoplada ao campo energético. Quando combinadas com a projeção das emoções interiores tendem a se potencializar e se vitalizar como entidades pensantes. Ocorrem normalmente na região dos chacras principais. Se instalam na aura da pessoa, exercendo forte influência em seu modo de agir e atrair acontecimentos”.

Toda forma-pensamento criada ganha potência e intensidade de acordo com a natureza dos desejos do campo emocional que amplifica a significância da entidade criada pelo mentalismo, ou seja, a combinação da projeção do pensamento com os desejos fortalece e vivifica a forma pensamento ativa.

O corpo emocional desse corpo de luz ou aura é constituído de uma matéria mais densa, peculiar ao homem de pouca evolução espiritual, de baixo nível de consciência, ainda viciado nas paixões mundanas, nos sentimentos animalizados e egoístas. À medida que a evolução espiritual e o altruísmo vai fazendo parte da essência dessa pessoa, seu corpo emocional refina-se e clarifica-se dos tons sombrios característicos dos desejos primitivos e das paixões terrenas. A consequência nesse caso é que as nuances escurecidas se dissipam, manifestando elevação de consciência.

“O poder da forma de pensamento depende da energia mental combinada com a força da paixão ou desejo”.

Princípios gerais das formas-pensamentos

Três princípios gerais governam a produção de todas as formas-pensamento:
1. A qualidade dos pensamentos determina a sua cor;
2. A natureza dos pensamentos determina a sua forma;
3. A precisão dos pensamentos determina a nitidez dos seus contornos.

Cada pensamento bem definido produz um duplo efeito:
1. uma vibrante radiação (energia);
2. uma forma suscetível de flutuar pelo espaço.

Tipos de formas-pensamento

Do ponto de vista das formas que os pensamentos criam, podemos dividi-las em três tipos:
1. As formas que produzem a imagem do pensador;
2. As formas que produzem a imagem de alguma pessoa ou objeto material;
3. As formas com feição inteiramente própria, expressando as suas inerentes qualidades na matéria que atraem ao seu redor.

Do ponto de vista das formas que os pensamentos criam, podemos classificar a sua composição em dois tipos:
1. Forma de pensamento pura;
2. Forma de pensamento composta.

Do ponto de vista das formas que os pensamentos criam, há três tipos de ação:
1. Formas de pensamento que gravitam em torno do seu próprio criador;
2. Que gravitam em torno de egrégoras compatíveis com o seu padrão energético;
3. Que gravitam em torno de um alvo específico.

Uma dica para você: você pode conquistar seus sonhos e objetivos através da Técnica do Papel Dobrado. Assista ao vídeo onde eu explico sobre isso: Clique Aqui.





Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Bruno J. Gimenes   
Professor e palestrante, ministra cursos e palestras pelo Brasil.
E-mail: bruno@luzdaserra.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 31/07/2008
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.