Artigo de Flávio Bastos: Um olhar de lince sobre a vida - | Artigos do Clube
 

Um olhar de lince sobre a vida

Autor Flávio Bastos - flavio01bastos@gmail.com


Recentemente, recebi de uma amiga poetisa - intensa e lúcida, um recado virtual cujo teor revelava nas entrelinhas, um certo desconforto em relação à ela própria inserida em seu mundo de relações. Ao digitar "Perdoe-me a minha loucura", subentende-se que a amiga queira ter dito ao seu âmbito de contatos virtuais e pessoais, o seguinte: "Olhares acusadores... O que fiz de errado?"

Por incrível que pareça, o trauma da Idade Média, quando milhares de pessoas consideradas "diferentes" foram queimadas nas fogueiras da "purificação", insiste em permanecer em nossos inconscientes como um alerta de que se fizermos alguma coisa errada, olhares acusadores - entende-se inquisidores - estarão a nos espreitar e prestes a nos punir...

Os linces possuem uma audição apurada e uma visão capaz de discernir no escuro o mais pequeno movimento. Mas há quem afirme que a expressão "olhos de lince" nada tem a ver com o animal, vem de Linceu, um herói da mitologia grega.Linceu era piloto de um barco onde viajavam os argonautas em busca do Tosão de Ouro. Segundo a lenda, Linceu possuía uma visão tão penetrante que permitia ver o que se passava no céu e no inferno. Também teria chegado a contar, ao primeiro olhar e a uma distância de mais de duzentos quilômetros, o número de barcos de uma frota de guerra saída de Cartago. Poetas como Horácio e Malherbe cantaram as extraordinárias faculdades de Linceu.

Na verdade, embora ainda subdesenvolvida, todos nós possuímos a faculdade de Linceu ou a visão de lince, e o temor à reação dos "acusadores" é o principal motivo que impede-nos o pleno desenvolvimento dessas potencialidades inerentes e humanas.

Ter "olhos de lince" é possuir uma visão que penetra nos recônditos da alma humana, extraindo de lá inspirações poéticas e artísticas, descobertas científicas e vislumbres trancendentais que se interpenetram multidimensionalmente.

Na história da humanidade tivemos vários homens e mulheres "linces", cujo olhar penetrante sobre a vida e a alma humana foi crucial na evolução das artes, da ciência e do pensamento filosófico e religioso. E a diferença deles para a maioria dos homens e mulheres de suas épocas, é que eles não tinham medo de seus "acusadores", pois enfrentavam-nos com o destemor dos grandes descobridores que carregam sempre consigo o instrumento da verdade.

Citaremos apenas alguns homens e mulheres linces que contribuíram com a edificação de suas obras para a evolução da consciência humana.

Aristóteles, filósofo
"A história conta o que aconteceu; a poesia, o que deveria acontecer."

Bertold Brecht, poeta e dramaturgo
"Há homens que lutam por um dia e são bons; há outros que lutam por um ano e são melhores; há aqueles que lutam por muitos anos e são muito bons; porém, há homens que lutam por toda a vida: esses são imprescindíveis."

Isaac Newton, cientista
"O que sabemos é uma gota; o que ignoramos é um oceano."
"A unidade é a variedade, e a variedade na unidade é a lei suprema do universo."

Charles Chaplin, ator e diretor de cinema
"A vida é maravilhosa se não se tem medo dela."

Sigmund Freud, psicanalista
"Como fica forte uma pessoa quando está segura de ser amada!"

Albert Einstein, cientista
"O pensamento lógico pode levar você de A a B, mas a imaginação te leva a qualquer parte do universo."

Madre teresa de Calcutá, religiosa
"O que eu posso fazer, você não pode. O que você pode fazer, eu não posso. Mas juntos nós podemos fazer algo bonito para Deus."

Chico Xavier, médium espírita
"Nenhuma atividade no bem é insignificante. As mais altas árvores são oriundas de minúsculas sementes."

Mahatma Gandhi, pacifista e líder hindu
"Quem venceu o medo da morte, venceu todos os outros medos."

Dalai Lama, monge budista
"Seja a mudança que você quer ver no mundo."

Fernando Pessoa, poeta e escritor
"Tudo vale a pena se a alma não é pequena."

O olhar humano e profundo alcança também a poesia. No poema "Olhos de lince", de autoria desconhecida, observamos o passional na linha limítrofe entre a "loucura", a morte e o viver.

Sempre ouvir dizer
que olhos verdes são traição.
No entanto, os teus olhos de lince
são na minha vida, eterna perdição

Eterna perdição de loucura,
de paixão e prazer
entre palavras fugazes,
entre a morte e o viver.

Sê o licor da minha vida,
o líquido do meu prazer.
Sendo eu a tua morte
e eternidade no teu ser.


Os nossos medos internos que simbólicamente ocultam "censores" ou "acusadores" que nos espreitam, são muitas vezes, os responsáveis pela nossa defensiva posição em relação às possibilidades de crescimento que a vida nos oferece. Libertarmo-nos desses indesejáveis impecilhos que inibem a caminhada evolutiva é um permanente desafio colocado à nossa frente. Portanto, não tenhas medo de crescer, as fogueiras da Inquisição já estão extintas... ter olhos de lince é ter visão penetrante. Seus olhos podem - e devem - ver muito além daquilo que você teimosamente insiste em enxergar. Procure ver mais com os olhos de sua alma.


Olhos de lince são especiais,
penetram fundo,
alcançam distâncias abismais.


Psicanalista Clínico e Interdimensional.
www.flaviobastos.com





Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   

Autor: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: flavio01bastos@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 02/05/2008
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2017 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.