Esqueci a senha
 

 
Bookmark and Share

APRENDENDO A SER MAIS FLEXÍVEL

por Tania Paupitz - tania.paupitz@gmail.com

Há algum tempo, conversando com uma amiga que é Terapeuta Holística, falávamos sobre a arte da flexibilidade. A importância de sermos flexíveis para termos uma vida mais plena e feliz que é a capacidade de praticarmos o desapego das coisas, das pessoas, das situações, das posições que vivenciamos no nosso dia-a-dia.

Uma questão importante com relação a essa flexibilidade nos indica o caminho no sentido de aprender e compreender que “deixar as coisas rolarem” não significa desistir de nossa intenção, nossos desejos, mas sobretudo aprender a não montar expectativas. Não há como controlar as conseqüências de uma situação e como se apegar rigidamente a um resultado específico, pois isso com certeza nos levará a um estado de tensão, ansiedade, estresse e envelhecimento precoce.

Sempre que o desejado esperado não aparentar ser aquele que se manifesta tenha em mente a seguinte expressão que ouvimos de um mestre espiritual: “Quando as coisas não parecem estar indo do jeito que eu quero me livro da fixação que tenho por como achar que elas devem ser, confiando no fato de que não estou vendo a situação como um todo, e se eu a conhecesse, entenderia que há um motivo para que as coisas se desenrolem do jeito que tem que ser e o Universo tem um plano para mim muito maior do que qualquer coisa que eu possa ter concebido”.

Ter a capacidade de desprender-se de um resultado deriva da confiança na inteligência do Universo e sua ligação com ele, pois todos estão interconectados. O verdadeiro momento em que praticamos a flexibilidade é aquele em que temos a capacidade de encarar o desconhecido, o real campo de todas as possibilidades, desafiando nesse momento também o nosso poder de escolha, tomando a decisão de seguir em frente.

Viver sempre o conhecido é a mesma coisa que estar sempre no mesmo lugar, ou seja, é viver ainda no passado que não deixa de ser uma forma de estagnação, inércia e tudo o que é parado acaba acelerando o nosso envelhecimento. Vivemos sempre buscando a segurança através das coisas, pessoas, prazeres, poder, etc., que nos fixam em coisas como “se eu tivesse mais dinheiro” ou “se eu tivesse um emprego melhor”... então, eu me sentiria mais seguro ou mais feliz... Dinheiro, posições, posses, para a maioria das pessoas ainda são símbolos de segurança.

Temos que aprender que a verdadeira segurança vem de dentro e jamais será substituída por símbolos de poder e de posse, pois a matéria é muito transitória. Vamos levar para o outro lado apenas nossas conquistas internas; tudo o que é matéria ficará sendo deteriorado pela própria inflexibilidade do tempo. Essa descoberta de uma segurança interior vem do cultivo de uma atitude de curiosidade, desprendimento e aceitação. Significa desvencilhar-se de um determinado resultado, desenvolvendo uma nova postura de encarar a situação na qual me encontro.

Você é por natureza um ser criativo, pois está co-criando sua realidade a cada instante, portanto, ser flexível depende única e exclusivamente de sua postura perante a vida e as pessoas de um modo geral.

Texto revisado por Cris


por Tania Paupitz   
Tania Paupitz é Artista Plástica, Autodidata e natural de Florianopólis. A marca registrada de suas telas é a ênfase dada às cores vibrantes, influência dos estudos de vários artistas renomados, entre eles, Pissarro e Dali. Trabalha com óleo sobre tela e sua técnica predominante é o espatulado. Visite o site da Artista: www.taniapaupitz.mayte.us
Lido 5472 vezes, 22 votos positivos e 5 votos negativos.   
E-mail: tania.paupitz@gmail.com
Visite o Site do autor

Gostou deste Artigo?
Sim Não    
Imprimir
este Artigo
Enviar para
um amigo
Outros Artigos
deste autor


© Copyright 2000-2014 SOMOS TODOS UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
PRINCIPAL ARTIGOS
LOGAR PRODUTOS
ASSINAR SERVIÇOS
PARTICIPANTES EVENTOS