Somos Todos UM - HOME
O seu Portal de Autoconhecimento e Espiritualidade


Você se separou... E agora?  
Home > Psicologia

Você se separou... E agora?

por Rosemeire Zago


O difícil encontro consigo mesmo!

Depois de tantos planos, sonhos, encontros, desencontros, decepções, expectativas frustradas, necessidades emocionais não satisfeitas, amor e brigas, você consegue coragem e, enfim, está separado. E agora??? Como enfrentar as exigências da vida, o tempo livre, a cama vazia, os finais de semana sem companhia, mas também sem brigas, e se deparar consigo mesmo? Como lidar com a dor e angústia que sente?

É um momento marcado por muita confusão e dúvidas. Vive-se uma alternância de raiva, tristeza e saudade. Raiva pelo que aconteceu e da forma que aconteceu, tristeza por tudo de bom que se viveu e não vive mais e saudade dos momentos bons. E esquecemos o principal: o real motivo que motivou a separação.

No final de um relacionamento as pessoas tendem a buscar culpados, mas o que importa mesmo é encontrar a causa dos problemas que aos poucos foram se instalando. Conseguir examinar a relação passada com objetividade e serenidade não é uma tarefa simples, principalmente para quem não está acostumado a refletir e analisar suas próprias emoções e sentimentos.

Fugir do que sente não elimina a angústia, mas pode alimentá-la ainda mais. Muitas pessoas recorrem ao uso de álcool, drogas, relacionamentos casuais, comida em excesso ou deixam de se alimentar, como fuga de uma realidade dolorosa, ainda que inconsciente. Mas com certeza, não será negando ou fugindo do que sente que irá se livrar da dor. Deixar que o desespero e as lágrimas tomem conta também não vai ajudar. Tudo isso só irá aumentar seu sofrimento. Nessa fuga incessante de si mesmo, não conseguirá refletir sobre o que sente e o que aconteceu. É hora de acolher suas emoções e analisar com a razão.

Sim, analisar a relação que acabou poderá fazê-lo compreender melhor o que ocorreu e se conhecer mais. É hora de pensar sobre o que está sentindo, avaliar os fatores que influenciaram essa decisão, aumentando a consciência de si e dos próprios limites. O quanto você suportou para manter o relacionamento até aqui?

Lembrar sobre quando a relação começou também pode trazer mais compreensão ao momento presente. Haviam sonhos, desejos, ilusões, que por alguns motivos deixaram de existir. Como isso aconteceu? Será que você queria mesmo esse relacionamento? Cedeu demais para agradar? Deixou de lado valores importantes, mas que agora se tornam importantes? É momento de lembrar dos fatos, comportamentos, o que levou cada um a tomar as atitudes que foram tomadas e identificar em que ponto seu próprio crescimento foi interrompido. E principalmente, identificar em que momento você se abandonou.

Umas das consequências da separação é a solidão, mas será que já não estava só muito antes do término? Quantas vezes você foi sozinho naquele encontro com amigos ou família? Quantas vezes se sentiu só com os próprios sentimentos? Quantas vezes não teve com quem conversar ou sentiu que falava sozinho? Quanto tempo ficou sem receber carinho?

O medo de ficar sozinho pode fazer com que comece muito rápido um novo relacionamento, correndo o risco de repetir todos os comportamentos negativos da relação passada. O mais aconselhável é dar um tempo para encontrar-se consigo mesmo, pois só estará efetivamente saudável para uma nova relação a dois quando for capaz de enfrentar a vida sozinho, a menos que já tenha a certeza de que a relação passada não deixou nenhum vestígio, o que raramente acontece.

É essencial perceber que ficar sozinho pode ter muito aprendizado, como permitir a introspecção, a reflexão dos fatos, e principalmente, um maior encontro com seu verdadeiro eu. Viver sozinho não significa necessariamente sentir-se só. A solidão nasce dentro da própria pessoa, quando ela perde o contato com seu eu interior, negando, fugindo ou reprimindo o que sente. Só se sente sozinho quem abandona a si mesmo.

Pense em quantas coisas você deixou de fazer porque a outra pessoa não gostava ou por falta de tempo? Passado o período de adaptação, poderá descobrir as inúmeras coisas que poderá fazer por si mesmo. Ao se separar, irá ter muito mais tempo para fazer coisas que gosta e nem se lembra mais. Por que não visitar amigos, ler aqueles livros que comprou e sequer os abriu, dedicar-se a um hobby, fazer um trabalho voluntário? São pequenas coisas que poderão aos poucos lhe trazer de novo prazer de viver.

De fato, os momentos de saudade e tristeza pelas lembranças do passado são inevitáveis, mas é importante vivê-los consciente de todo aprendizado, e dar ao passado o direito de existir sem que para isso precise destruir o momento presente. Ninguém pode evitar a sensação de abandono e a falta de quem se foi faz em sua vida, mas também ninguém pode privá-lo que sinta uma força interior que aos poucos irá adquirir ao se permitir estar em paz consigo mesmo. E isso não tem preço!



Compartilhe



Rosemeire Zago é psicóloga clínica CRP 06/36.933-0, com abordagem junguiana e especialização em Psicossomática. Estudiosa de Alice Miller e Jung, aprofundou-se no ensaio: `A Psicologia do Arquétipo da Criança Interior´ - 1940.
A base de seu trabalho no atendimento individual de adultos é o resgate da autoestima e amor-próprio, com experiência no processo de reencontrar e cuidar da criança que foi vítima de abuso físico, psicológico e/ou sexual, e ainda hoje contamina a vida do adulto com suas dores.
Visite seu Site e minha Fan page no Facebook.
Email: r.zago@uol.com.br
Visite o Site do Autor

Deixe sua opinião sobre este artigo

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.
As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo do Site.
 
Energias para Hoje

energia
I-Ching: 42 – I – AUMENTO
Momento de crescimento, que significa melhora não só no aspecto material mas também no espiritual. Ele acontece quando as ações e, acima de tudo, os sacrifícios são feitos em favor dos outros.


energia
Runas: Eihwas
50% já está conquistado, o resto e com você. Aja!


22
Numerologia: Idealismo
Dia para dedicar-se a obras que beneficiem todos ao seu redor. As atitudes devem ser abrangentes enfocando grupos de pessoas. Mantenha os pés firmes no chão e aja de forma a melhorar as coisas para os outros.
 
 
Horóscopo da Semana
Áries Áries Libra Libra
Touro Touro Escorpião Escorpião
Gêmeos Gêmeos Sagitário Sagitário
Câncer Câncer Capricórnio Capricórnio
Leão Leão Aquário Aquário
Virgem Virgem Peixes Peixes
 

+ Lidos da Semana anterior
1. Como fazer um homem ficar obcecado por você...
2. A Oração do Perdão
3. Viva em sintonia com a sua verdade
4. Como saber quando alguém não está tão a fim de você!
5. Acabou... e agora? Será que vale a pena voltar?
6. Como lidar com a síndrome do impostor ou falso self?
7. Quem você pensa que é?
8. As 70 palavras mágicas que começam com P - Parte 2

Faça parte do PDA

 
Voltar ao Topo
Siga-nos
Facebook Twitter Instagram Gogole Plus Youtube
Somos Todos Um é um parceiro do iG Delas
© Copyright 2000 - 2017 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - Política de Privacidade